A variante Ômicron aumentou os casos de Covid-19 em todo o mundo e os estados do Brasil não ficaram fora deste panorama, como São Paulo e Rio de Janeiro. O Rio, por exemplo, registrou mais de 257 mil novos casos desde o dia 3 de janeiro.

Levando em consideração a alta na taxa de contaminação, a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) aconselhou que a região metropolitana do Rio fosse colocada em “lockdown”, regime mais restritivo das medidas de isolamento social para prevenção da Covid-19.  

publicidade

Leia também!

Em uma nota divulgada nesta segunda-feira (24), a UFRJ aponta que ao analisar a taxa de transmissão da capital do Rio na segunda semana de janeiro, foi possível confirmar uma transmissão de 2,6, o que indica que dois cariocas infectados transmitem o SARS-CoV-2 para outros cinco.  

Lockdown no Rio de Janeiro

A UFRJ acredita que após a taxa de transmissão ultrapassar o número 2 é necessário iniciar o regime de lockdown. Apenas a região Noroeste Fluminense estava com a taxa abaixo de 2 na segunda semana deste mês. 

Tabela de infecção por Covid-19
Após alta nos números de Covid-19, UFRJ recomenda lockdown no Rio de Janeiro. Imagem: Reprodução/UFRJ

O documento publicado pela universidade acredita que o Rio de Janeiro enfrentará mais 15 dias de alta no número de casos de Covid-19, podendo chegar a 3,2 milhões de novos registros.  

“Qualquer alteração no mapa de risco, nas medidas restritivas, ou na necessidade de abertura de novos leitos, por exemplo, passam pela análise criteriosa dos dados epidemiológicos, e novas medidas e estratégias poderão ser adotadas conforme necessidade”, afirmou a Secretária Municipal de Saúde do RJ, ao G1. 

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!