Nesta sexta-feira (28), a China anunciou seus planos para a exploração espacial nos próximos cinco anos, detalhando metas ambiciosas que incluem: o fortalecimento de sua infraestrutura espacial, o desenvolvimento de uma espaçonave de última geração para transportar passageiros para o espaço e ações voltadas para o envio de pessoas à Lua.

Ilustração artística da estação espacial Tiangong em órbita da Terra. A estação está prevista para ser concluída até o final de 2022. Imagem: Adrian Mann/All About Space magazine/Future Plc

Nas últimas décadas, o país deu ênfase significativa à expansão de suas capacidades espaciais, com o aumento da frequência e do escopo de seus lançamentos e ao impulsionar novas áreas, como a exploração robótica de Marte

publicidade

Conforme destaca o site The Verge, a China também montou uma campanha de longo prazo de exploração lunar que envolve o envio de uma série de landers e rovers para a Lua de forma gradual ao longo dos anos. 

Leia mais:

Em 2019, o país se tornou o primeiro a pousar um rover no outro lado da Lua, e em 2020, trouxe amostras lunares de volta à Terra. Dado o foco da China na Lua, já era esperado há anos que o país eventualmente tentaria pousar pessoas na superfície lunar também. 

À medida que o programa lunar do país avançou, também houve progressos significativos em seu programa de exploração humana. Em 2021, o país lançou o módulo central de uma nova estação espacial que será construída em órbita ao redor da Terra. Atualmente, há três astronautas vivendo a bordo da estação.

Exploração lunar faz parte dos ambiciosos planos espaciais da China para os próximos cinco anos. Imagem: BeeBright/Shutterstock

Sondas em asteroides e criação de novos motores de foguetes estão entre os planos da China

No documento revelado agora, o país detalha planos para enviar duas naves robóticas adicionais para a Lua nos próximos cinco anos, que estudarão as regiões polares lunares, áreas da superfície lunar onde, acreditam os cientistas, existe água congelada. 

Uma das duas sondas retornará amostras lunares, enquanto a segunda fará análise de uma área em sombra permanente. O país também vai estudar planos para sua próxima sonda lunar, bem como trabalhar com parceiros internacionais para “construir uma estação de pesquisa internacional” na Lua. Não está claro quando a China planeja completar esta estação ou quando pretende pousar humanos na superfície lunar. 

A China também está explorando outros planetas em nosso Sistema Solar. Ele espera lançar sondas para asteroides próximos à Terra nos próximos cinco anos, bem como estudar maneiras de enviar naves espaciais para o sistema Joviano (Júpiter e suas luas) e para Marte novamente, com planos de trazer de volta amostras do Planeta Vermelho.

Entre os demais planos listados no documento estão a construção da estação espacial da China, a atualização de suas tecnologias de satélite, a melhoria de seus sistemas de transporte espacial e foguetes e a criação de novos motores de foguetes. 

É verdade que essa é uma lista muito longa para ser finalizada até a próxima meia década, mas, até agora, a China deixou claro que a exploração espacial é uma prioridade — o que pode ser um indício de que os planos certamente serão cumpridos.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!