O cientista anglo-americano Piers Sellers será homenageado pela Northrop Grumman, que batizou a próxima cápsula não-tripulada Cygnus em seu nome. A “S.S. Piers Sellers” está programada para levantar voo em fevereiro, para entregar suprimentos científicos para a missão Expedition 67, na Estação Espacial Internacional (ISS).

“É uma tradição da nossa empresa nomear cada nave Cygnus em homenagem a algum pioneiro dos voos espaciais humanos”, disse Christina Zourzoukis, analista de projetos de RH da Norhtrop Grumman em um vídeo compartilhado pela empresa no Twitter. “Conforme nos preparamos para a nossa próxima missão para a ISS, tenho o orgulho de anunciar que a NG-17 Cygnus será nomeada em homenagem a Piers Sellers, astronauta da NASA que ajudou na montagem da estação e fez enormes contribuições para as ciências climáticas”.

publicidade

Leia também

Nascido em abril de 1955, Piers Sellers se formou em Ciências Ecológicas e obteve um doutorado em Biometeorologia pela Universidade de Edimburgo e pela Universidade de Leeds, respectivamente. Ingressou à NASA em 1982, 14 anos antes de ser escolhido pela agência como um de seus astronautas.

A NASA credita a ele a criação “modelo de biosfera simples”, o primeiro modelo a simular de forma realística a interação entre a fotossíntese em escala global e os diversos climas da Terra. Essa criação viria a se tornar uma base para a evolução científica que, hoje, nos permite estudar o aquecimento global e outros fenômenos do tipo.

Sellers viria a ingressar no elenco de astronautas da NASA em 1996, dois anos antes do lançamento da Estação Espacial Internacional. Entre 1996 e 1998, ele foi parte da missão STS-112, onde conduziu três caminhadas espaciais para instalar as treliças do suporte dorsal da ISS.

Ele viria a voar de novo na missão STS-121, a segunda que a NASA executou após a tragédia que levou à perda da Columbia e sua tripulação em 2003. Nesta missão, Sellers novamente fez caminhadas ao espaço a fim de testar novos métodos de reparos nas placas de proteção térmica da ISS.

A última viagem de Sellers veio na missão STS-132, onde ele entrou como “especialista” a bordo da Atlantis. A missão ficou conhecida pela entrega do módulo russo Rassvet, que Sellers ajudou a acoplar na estação junto da equipe de cosmonautas da Roscosmos.

Ao todo, Piers Sellers passou 35 dias, nove horas e dois minutos no espaço, fora outras 41 horas em caminhadas espaciais. Em 2011, ele se aposentou da posição de astronauta e assumiu um posto de direção científica e de exploração no Centro de Voos Espaciais Goddard.

Em 2017, Sellers finalmente sucumbiu a uma longa luta contra o câncer pancreático — um ano após ser homenageado com a Medalha de Serviços de Destaque da NASA, a maior honraria concedida pela agência espacial.

“Aqueles que o conheceram certamente se lembram de suas piadas e sua habilidade de arrancar sorrisos dos outros”, disse Zourzoukis.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!