A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou nesta sexta-feira (28) a venda de autotestes de Covid-19 no Brasil.

A partir de agora, cada empresa que queira vender o produto no país pode solicitar a liberação, que vai ser analisada caso a caso pela agência. A decisão pela autorização foi unânime entre todos os membros da diretoria. 

publicidade

Pela decisão, resultado positivo com autoteste não vai contar como caso de Covid-19. A intenção é que o indicador sirva como uma triagem para que a pessoa faça o teste em uma farmácia ou unidade de saúde. Por tanto, o resultado do autoteste também não servirá para apresentação para viagens ou atestado médico.

Leia também!

Autotestes de Covid-19 

“Nenhum autoteste de Covid-19 poderá ser comercializado imediatamente no país. As empresas habilitadas legalmente que desejarem colocar esses dispositivos à venda terão que registrar o produto na Anvisa”, destaca a nota divulgada pelo órgão.  A venda de autotestes na internet em sites que não são de farmácias ou hospitais também está proibida.

Confira os principais pontos divulgados pela Anvisa

  • Os autotestes de Covid-19 só poderão ser comercializados no país após registro do produto junto à Anvisa.
  • A Anvisa analisará os pedidos de registro de autotestes com prioridade.
  • É proibida a venda de autotestes em sites que não pertençam a farmácias ou estabelecimentos de saúde autorizados e licenciados pelos órgãos de vigilância sanitária.
  • O autoteste não define um diagnóstico, o qual deve ser realizado por profissional de saúde. Seu caráter é orientativo. Ou seja, não se trata de um atestado médico. 
  • O resultado do autoteste não é válido para viagens e entradas em eventos.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!