Ciência e Espaço

Diamante negro “vindo do espaço” é vendido por R$22,4 milhões

Por Flavia Correia, editado por Rafael Rigues
10/02/22 10h47, atualizada em 10/02/22 15h56

Imagem: AP Photo/Kamran Jebreili

Se diamantes são pedras extremamente valiosas, imagine um diamante negro de mais de 555 quilates. Para tornar o objeto ainda mais raro, pense que ele pode ter vindo diretamente do espaço. É isso o que a casa de leilões Sotheby’s, de Dubai, nos Emirados Árabes, afirma sobre um de seus cristais.

Acredita-se que o raro diamante negro tenha sido criado quando um meteorito atingiu a Terra há mais de 2,6 bilhões de anos. Imagem: Sotheby’s

Com exatos 555,55 quilates, o diamante negro foi batizado de “O Enigma” pela Sotheby’s, que exibiu a joia rara à imprensa pela primeira vez no início de janeiro como parte da apresentação de uma exposição em Dubai e em Los Angeles, antes de ser leiloada em Londres, na última quarta-feira (9). 

O diamante foi arrematado em um certame online por £3,16 milhões, o equivalente a nada menos do que R$22,4 milhões. A Sotheby’s o chamou de “maravilha cósmica” antes do leilão, que também aceitou ofertas em criptomoedas.

“Acredita-se que esse tipo específico de diamante negro foi criado a partir de impactos meteóricos que produzem deposição de vapor químico natural ou de uma origem extraterrestre — a partir de explosões de supernovas que formaram asteroides portadores de diamantes que finalmente colidiram com a Terra”, declarou a casa de leilões em um comunicado.

Leia mais:

Especialistas levaram três anos transformando o diamante bruto em uma joia de 55 faces, cuja configuração foi inspirada no símbolo de poder e proteção em forma de palma do Oriente Médio, o Hamsa, que também está associado com o número cinco.

Aplicação do diamante negro é mais comum em perfuração industrial

Embora o valor pago pelo diamante impressione, para os especialistas não foi algo que corresponda à grandiosidade da peça. “O preço d’O Enigma não chegou muito bem a níveis intergalácticos. Mas, o que não pode ser negado é que é um diamante que lhe dá uma capacidade inigualável de se gabar”, disse Tobias Kormind, diretor-gerente da maior joalheria online da Europa, a Mayfair.

“O tamanho, a forma e a fonte do diamante Enigma o tornam inovador e incrível”, acrescentou. “A maioria dos diamantes são cortados em uma das 10 formas populares, mas a forma do Enigma se assemelha a uma mão”.

Segundo Kormind, “O Enigma” não é um diamante de qualidade de pedra preciosa, e os carbonados normalmente não são usados em joias ou vendidos em leilão, “mas cresceram em popularidade recentemente”. Eles, na verdade, são normalmente usados na perfuração industrial devido à sua extraordinária dureza.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Deixe sua opinião
Tags