A fabricante americana Navier levantou US$ 7,2 milhões (cerca de R$ 37 milhões) para produzir o que chama de “barco do futuro”: o Navier 27, um barco elétrico com hidrofólio de 8,2 m de comprimento. Combinando tecnologias de eletrificação, compósitos avançados e sistemas de software inteligente, o barco, garante a empresa, pode ser 90% mais eficiente do que uma embarcação com motor a combustão interna do mesmo comprimento.

Hidrofólio é o nome dado a lâminas instaladas abaixo do casco que funcionam como asas de avião subaquáticas. Feitas geralmente de metal, elas aumentam a velocidade e o ângulo de ataque da embarcação e permitem maior resistência à água, erradicando oscilações na condução. No caso do Navier 27, o barco elétrico terá dois tipos de hidrofólio: a versão Cabin, para uso em todas as estações, e a Hardtop, para temperaturas mais quentes.

publicidade
Navier 27: “barco do futuro” elétrico e com hidrofólio
Navier/Divulgação

Internamente, o “barco do futuro” conta com um motor elétrico que o permite voar acima de ondas de até 1,2 m a uma velocidade de 37 km/h. As lâminas podem ser retraídas para águas rasas ou varadouros e a bateria oferece alcance de 138 quilômetros.

“A civilização humana foi historicamente construída em torno de hidrovias e hoje 46% do mundo vive em cidades costeiras fortemente congestionadas”, diz o CEO da empresa, Sampriti Bhattacharyya. “Se pudermos construir uma embarcação marítima zero-emissões que compita em custo, velocidade e conveniência com opções terrestres, abriremos um novo modo de transporte limpo e escalável para cidades litorâneas que nunca foi possível antes e sem a necessidade de infraestruturas de custo proibitivo, como pontes e túneis.”

Além dos hidrofólios, o Navier 27 conta também com outros recursos modernos como autopiloto avançado e ancoragem automática.

Redução de custos

De acordo com o CEO da empresa, Sampriti Bhattacharyya, hidrofólios também diminuem o custo operacional de um barco convencional em 10 vezes e eliminam a sensação de enjoo comum nos passeios marítimos. Um barco elétrico com hidrofólio também pode alcançar distâncias práticas em alta velocidade. “Barcos com hidrofólio não são novos, mas as limitações tecnológicas restringiam seu desempenho e aplicabilidade”, explica o diretor técnico da Navier, Reo Baird. “[Por conta disso] Nossa equipe está desenvolvendo um sistema de controle de lâminas de última geração que vai alcançar um desempenho sem precedentes em uma ampla gama de condições marítimas.”

A Navier afirma ter esgotado a produção anual de 15 unidades apenas dois meses desde o anúncio do “barco do futuro”. A empresa também se juntou à construtora Lyman-Morse para fechar a remessa do ano passado e iniciar a produção de 2022, que já conta com dois cascos fabricados. A meta é produzir mais de 400 unidades do Navier 27 até 2024.

Leia também:

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!