Ciência e Espaço

China pretende completar sua estação espacial neste ano

Por Rafael Rigues, editado por Acsa Gomes
17/02/22 13h55, atualizada em 18/02/22 22h31
O vídeo está sendo carregado - aguarde...

Ao que parece, tudo está correndo como programado no ambicioso plano chinês para construir sua própria estação espacial. Enquanto os taikonautas da missão Shenzou 13 preparam o módulo central Tianhe, já em órbita, equipes em solo estão prosseguindo com os preparativos para o lançamento dos dois próximos módulos, Wentian e Mengtian, ainda neste ano.

De acordo com a China Academy of Launch Vehicle Technology (CALT, Academia Chinesa de Tecnologia de Veículos de Lançamento), o terceiro foguete Longa Marcha 5B já passou pela montagem e testes finais e lançará o Wentian em meados deste ano. O quarto foguete está passando pela montagem final, e lançará Mengtian na segunda metade de 2022.

Ilustração artística da estação espacial de Tiangong completa da China na órbita da Terra. A estação está prevista para ser concluída até o final de 2022. Imagem: Adrian Mann/All About Space magazine/Future Plc

Um grande braço robótico no Tianhe agarrará e moverá os novos módulos para a posição depois que eles se acoplarem. E assim como Voltron, quando combinados eles formarão algo maior e mais poderoso: a Tiangong, terceira estação espacial chinesa, e a primeira modular e projetada para ocupação a longo prazo. A China é o terceiro país na história a ter uma estação espacial própria, após a União Soviética e os EUA.

Os dois novos módulos têm uma massa de mais de 20 toneladas cada e foram projetados principalmente para hospedar experimentos científicos. Wentian também tem novas escotilhas para atividades extraveiculares, ou caminhadas espaciais, e adicionará um segundo braço robótico menor à estação espacial.

Leia mais:

“Depois que a estrutura em forma de T for formada, testaremos completamente as funções e desempenho da estação espacial como um todo. Estimamos que a estação espacial estará operacional no final do ano”, disse Bai Linhou, vice-designer chefe de sistemas da estação espacial na Academia Chinesa de Tecnologia Espacial (CAST), à emissora estatal CCTV.

A China tem seis missões à sua estação espacial programadas para este ano. Além dos módulos, estão agendadas mais duas missões tripuladas (Shenzhou) e duas de carga (Tianzhou). 

Segundo a China Aerospace Science and Technology Corporation (CASC), o país pretende lançar mais de 140 espaçonaves em mais de 50 lançamentos em 2022, quebrando o recorde de 52 lançamentos estabelecido no ano passado. 

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!

Deixe sua opinião
Tags