Enquanto reafirmava o compromisso da Stellantis junto à eletrificação, o CEO Carlos Tavares disse que os carros elétricos são de 40% a 50% mais caros de construir que os modelos tradicionais com motor de combustão interna. A observação foi feita em uma teleconferência recente, conforme relata o site MotorTrend.

“O gorila na sala é o custo da eletrificação”, disse o executivo da Stellantis, que já conta com 34 carros eletrificados pelo mundo neste momento, dos 55 modelos planejados para 2025. Basicamente, a empresa deverá contar com 40 carros totalmente elétricos e 15 híbridos plug-in (PHEVs), sendo cerca de 20 novas opções surgindo nos próximos três anos.

publicidade

Leia também:

O posicionamento do CEO segue em sintonia com suas declarações feitas em dezembro para a agência Reuters. Para reforçar o quanto é complicada a situação, Tavares alega que os custos extras não podem ser absorvidos pela sua empresa automobilística – ou seja, não teria como a Stellantis obter lucro com a venda de veículos elétricos.

Por outro lado, os custos extras na fabricação de carros elétricos não podem ser impostos aos consumidores, porque os preços seriam muito altos para a maioria das pessoas poder comprar um EV. Tavares afirma que a Stellantis terá que reduzir os custos internos e encontrar um meio termo com seus fornecedores – segundo o CEO, estes gerenciam 85% da cadeia de peças de veículos, sendo então onde a empresa deve encontrar a maior margem de manobra.

Em sua visão, como a Stellantis é a quarta maior empresa automotiva, ela tem tamanho e capacidade para poder jogar com a economia. Tavares também aponta que sua montadora possui um ponto de equilíbrio mais baixo que seus concorrentes, já que é 30% mais eficiente do que a maioria deles.

Apesar de produzir apenas 6 milhões de veículos, de sua capacidade total de 8 milhões de unidades, a Stellantis teve um forte ano fiscal. Fazer mais carros, afirma o CEO, daria mais dinheiro à montadora – resultando na fabricação de modelos elétricos mais acessíveis.

Elétricos com preço equivalente em 2026

Um estudo recente da BloombergNEF (BNEF) traz que, um ano após a Stellantis ter seus 55 carros eletrificados rodando pelo mundo, veículos como sedans e SUVs elétricos serão tão baratos de produzir quanto os modelos a gasolina e diesel – com carros pequenos atingindo esse ponto no ano seguinte. A combinação de queda nos preços das baterias com linhas de produção dedicadas, somada a regulamentações governamentais mais rígidas, pode significar veículos elétricos mais baratos de construir até 2027.

Segundo a fornecedora de pesquisas estratégicas para a economia de baixo carbono, o preço médio atual de um carro elétrico de tamanho médio é de € 33.300, em comparação com € 18.600 para um carro a gasolina. Teríamos algo como cerca de R$ 192.680 contra R$ 107.623 em valores convertidos hoje (28). Em 2026, ambos estão previstos para custar cerca de € 19 mil – ou seja, por volta de R$ 109.938.

Já em 2030, a BNEF traz que o mesmo carro elétrico deverá custar € 16.300 antes de impostos (R$ 94.315), enquanto o carro a gasolina custaria € 19.900 (R$ 115.145). A linha do tempo da pesquisa para a paridade de custos é mais conservadora do que outras previsões, incluindo uma do banco de investimentos UBS, que previu que os carros elétricos custarão o mesmo para serem fabricados até 2024.

Investimentos e elétricos da Stellantis

Voltando à Stellantis, em julho passado, a empresa – que surgiu da fusão entre a Fiat Chrysler Automobiles e a francesa PSA Groupe – anunciou que investiria US$ 35,5 bilhões em seus planos de eletrificação para ter 55 veículos eletrificados à venda globalmente até 2025. Atualmente, dentre suas ofertas, há as versões elétricas do Fiat 500, Opel Corsa, Mokka e Rocks-e, Citroen C4 e Ami, o DS3 Crossback, o Peugeot 208, 2008, bem como vários veículos comerciais.

No Brasil, por exemplo, duas opções elétricas da Stellantis são o Fiat 500 elétrico e o Peugeot 208 e-GT. Para os consumidores nos EUA, veremos a montadora lançar veículos eletrificados sob a Chrysler, Dodge, Maserati e Jeep. A Europa tem ainda mais opções de Jeep com versões 4xe do Compass, Renegade e Grand Commander. Tavares diz que haverá mais 17 veículos eletrificados chegando em 2022 e 2023. Eles incluem 13 BEVs e quatro PHEVs.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!

Imagem: guteksk7/Shutterstock