Desde 2009, o Lunar Reconnaissance Orbiter (LRO), da Nasa, tem feito inúmeras fotos de alta resolução da superfície lunar. Esses dados, juntamente com as informações de um altímetro laser, permitiram aos cientistas criar um mapa incrivelmente detalhado da Lua. 

Lunar Reconnaissance Orbiter (LRO), satélite da Nasa, tem feito inúmeras fotos de alta resolução da superfície lunar desde 2009. Imagem: Nasa

Um “roteiro” detalhado do nosso satélite natural será extremamente útil para que os astronautas das futuras missões lunares percorram seus caminhos com precisão. E, segundo a agência espacial norte-americana, agora é possível identificar com confiança qualquer característica na Lua, incluindo a localização exata de seu polo sul. Graças ao “QuickMap” interativo, projetado pela equipe do LRO, qualquer pessoa pode ver e explorar virtualmente cada pedacinho da Lua.

publicidade

Mesmo antes do lançamento do LRO, a equipe científica já havia adotado um sistema de coordenadas chamado Mean Earth/Polar Axis (Moon ME). Isso agora se tornou o padrão para mapear todos os dados lunares.

O vídeo abaixo é uma visualização de dados mostrando a localização do polo sul da Lua. 

No sistema Moon ME, o polo sul da Lua está localizado na borda da cratera Shackleton, em um ponto marcado por um pino vermelho. A equipe de visualização do Centro de Voo Espacial Goddard, da Nasa, explica que, se você pensar em Shackleton como um relógio, com o meio-dia apontando para a Terra, o polo sul está entre 10 e 11 horas.

Leia mais:

Lua é o corpo celeste mais conhecido pelos cientistas na Terra

Os mapas topográficos da LRO incluem informações do altímetro laser que “zapeia” a Lua incríveis 140 vezes a cada segundo, medindo os relevos e depressões, recantos e fendas na superfície lunar com uma precisão dentro de 10 cm.

Richard Vondrak, cientista de projetos do LRO, em declaração para o livro “Histórias Incríveis do Espaço: Um Olhar dos Bastidores sobre as Missões Mudando nossa Visão do Cosmos”, de Nancy Atkinson, disse que o legado da missão será o “guia básico da Lua”, um manual de mapas para guiar futuros exploradores.

“Sabemos como a Lua se parece em tremendos detalhes, e na verdade temos melhor conhecimento da forma, contornos e topografia da Lua do que de qualquer outro objeto no sistema solar”, disse Vondrak. “Isso inclui a Terra, porque a maior parte da superfície da Terra fica sob o oceano, e o fundo do mar não é mapeado como é a Lua”.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!