Lembra-se quando, na última quarta-feira (2), nós noticiamos o lançamento de um grupo de satélites da OneWeb, a ser feito do Cosmódromo Baikonur, operado no Cazaquistão pelo governo russo e sua agência espacial, Roscosmos? Bem, tudo indica que ele está cancelado.

Inicialmente, a empresa londrina e a Rússia disseram que, apesar do clima político tenso na Europa em virtude da guerra russo-ucraniana, o lançamento continuaria sua programação. Entretanto, pouco depois da nota ir ao ar, a Roscosmos anunciou que não seguiria adiante com o procedimento a não ser que a OneWeb garantisse que os 36 satélites a bordo de um foguete Soyuz não fossem usados para fins militares contra a Rússia.

publicidade

Leia também

imagem

Outra exigência feita pelos russos foi a de que o governo do Reino Unido se separasse por completo da OneWeb. O parlamento britânico aprovou a compra de parte da companhia de satélites para salvá-la da falência em 2020, efetivamente tornando-se dono de parte da empresa.

Digamos que a OneWeb (e o Reino Unido) não gostou de nenhuma das sugestões: a empresa já ordenou a retirada de seus funcionários do cosmódromo de Baikonur. O governo britânico também confirmou, via nota, que não pretende vender sua participação acionária na OneWeb.

Considerando a recusa e ação posterior da OneWeb, é provável que o lançamento dos satélites não siga em frente. O governo russo, no entanto, ainda não manifestou a sua tréplica.

A OneWeb tem como principal negócio a oferta de conexão à internet via satélite para áreas isoladas do cabeamento de fibra óptica. A empresa de origem britânica tem por objetivo criar uma constelação de mais de 600 satélites na órbita da Terra, assegurando cobertura e estabilidade de internet a todo tempo. Até o momento, mais de 420 satélites já foram colocados em órbita pela companhia.

O uso militar de satélites comerciais seria inédito na história da OneWeb, mas não é algo difícil de conceber: em janeiro de 2020, o exército do Iraque atacou a base norte-americana de Al Assad com um míssil. Antes do ataque, os iraquianos planejaram sua inteligência por meio de fotos compradas…de satélites comerciais de imagem.

Mais além, um estudo de 2021 apontou que os satélites da Starlink – concorrente da OneWeb – poderiam ser usados como método de posicionamento global caso a rede de GPS fosse derrubada por mau funcionamento ou ataque – seja um ataque físico ou de hackers.

No caso da OneWeb, a situação ainda está no “talvez”, mas é bem provável que a parceria da empresa com o governo russo seja revista. O lançamento de sexta-feira seria apenas um em um calendário repleto de agendamentos, afinal.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!