O escritor de “X-Men” (2000), David Hayter, falou durante uma entrevista ao Insider sobre as mudanças que a 20th Century, da Fox, queria fazer no Wolverine para que os filmes fossem ao ar pelo canal. Segundo o roteirista, a companhia queria mudar a nacionalidade do personagem de canadense para americano, algo que Hayter não aceitou.

“Um dos momentos de maior orgulho que tive no primeiro filme foi quando fui chamado a um dos escritórios dos produtores e eles me disseram: ‘Ei, podemos encontrar Wolverine no Alasca em vez de Alberta e fazê-lo Americano?’ Eu sabia que isso ia acontecer, mas eu estava preparado e disse a eles: ‘Todo mundo sabe que Wolverine é canadense e os fãs vão te matar’. Eu não tinha poder nessa situação, mas me mantive firme e ele permaneceu canadense”, contou.

publicidade

Leia mais!

Hayter, que é canadense, acrescentou que está não foi a primeira vez que a Fox tentou mudar a nacionalidade do herói. O roteirista inclusive, tweetou em 2017, no aniversário do Canadá, palavras demonstrando orgulho do seu país, e mencionou novamente a situação com o canal. “17 anos atrás, eles me pediram para fazer Wolverine americano. Eu recusei. Feliz aniversário, Canadá”, escreveu.

Wolverine - Hugh Jackman - X-men - 20th Century
Escritor de “X-Men” fala sobre pedido da Fox por mudanças em Wolverine: “Me mantive firme”. Imagem: 20th Century/Reprodução

Tanto em seu tweet quanto na entrevista, ele também acrescentou que jamais se intitularia um “verdadeiro herói canadense” diante da atitude, mas que deixaria tal consideração para os outros.

Além de roteirista, Hayter também é um dublador conhecido por seus trabalhos em na versão em inglês do personagem Solid Snake e Naked Snake na mundialmente famosa série de jogos eletrônicos Metal Gear Solid. Na franquia X-Men, ele atuou como escritor em “X-Men – O Filme”, de 2000, e na sequência “X-Men 2”, de 2003.

“Claro, todos nós fomos demitidos depois do X2 porque [a Fox] queria chegar a uma data arbitrária, [mas] eu assisti todos os filmes porque X-Men foi uma grande parte da minha vida. Alguns elementos depois foram ótimos e alguns não foram tão bons. Eu realmente amei X-Men: Dias de um Futuro Esquecido e Logan, eu pensei, foi épico. Era tudo o que queríamos fazer no passado, mas não podíamos porque era PG-13″, acrescentou o roteirista.

PG-13 ou Parents Strongly Cautioned (Pais Fortemente Advertidos, em tradução) é uma a classificação indicativa de filme nos Estados Unidos. O selo indica que a produção não é recomendável para menores de 13 anos.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!