Ciência e Espaço

Saiba tudo sobre o 4º voo espacial tripulado da Blue Origin

23/03/22 19h46, atualizada em 28/03/22 19h25
O vídeo está sendo carregado - aguarde...

Na próxima quinta-feira (31), a Blue Origin levará seis pessoas para o espaço suborbital em sua quarta missão tripulada a bordo da espaçonave New Shepard. Estarão presentes cinco clientes pagantes: Marty Allen, o casal Sharon Hagle e Marc Hagle, Jim Kitchen e George Nield, além do tripulante convidado por Jeff Bezos, Gary Lai, funcionário da empresa que ocupará o assento deixado vago pelo comediante Pete Davidson

Espaçonave New Shepard, batizada em homenagem ao primeiro norte-americano a ir ao espaço, Alan Shepard. Imagem: Blue Origin

O lançamento da missão – conhecida como NS-20, porque será o 20º voo de um veículo New Shepard na contagem geral da Blue Origin – está marcado para as 10h30 (pelo horário de Brasília), do Local de Lançamento 1 da empresa, perto de Van Horn, no estado americano do Texas. 

Segundo a Blue Origin, haverá uma transmissão em tempo real pela internet, começando cerca de uma hora antes, no canal oficial da empresa no YouTube. Também estão previstos posts de atualizações da missão por meio  do perfil da Blue Origin no Twitter.

Voo suborbital do foguete New Shepard tem média de 11 minutos de duração

A espaçonave New Shepard recebeu o nome do astronauta da missão Mercury Alan Shepard, em reconhecimento ao seu legado como o primeiro americano a chegar ao espaço, em 5 de maio de 1961. Sua filha, Laura Shepard Churchley, a convite de Bezos, fez parte da tripulação da missão NS-19.

Laura Shepard Churchley, filha do astronauta Alan Shepard, o primeiro norte-americano a ir ao espaço, fez parte da tripulação mais recente da nave New Shepard, da Blue Origin. Imagem: Blue Origin

New Shepard consiste em um foguete e uma cápsula, ambos reutilizáveis. Cada voo do veículo dura cerca de 11 minutos. Tomando webcasts anteriores como referência, é provável que a transmissão desse evento mostre a decolagem e o pouso do foguete, a cápsula indo para o espaço, além de imagens dos astronautas cumprimentando as pessoas no solo após o voo.

Cada voo da New Shepard leva seus clientes e convidados acima da linha Kármán de 100 quilômetros, que é considerada o limite do espaço pelas autoridades internacionais. Onde o espaço sideral realmente começa é um tópico de debate, no entanto. Por exemplo, a principal concorrente da Blue Origin no negócio de turismo espacial suborbital, Virgin Galactic, não chega à linha de Kármán, o que já levou as duas empresas a discutirem sobre a definição de espaço.

O plano de voo prevê que o foguete pouse verticalmente logo após a decolagem e que a cápsula da tripulação desça independentemente com paraquedas, chegando à Terra alguns minutos após o propulsor.

A Blue Origin usa sua RSS First Step (RSS é a abreviação em inglês para Nave Espacial Reutilizável) para voos tripulados. Uma cápsula New Shepard diferente, chamada RSS HG Wells, é usada para voos científicos não tripulados.

Conheça a tripulação do próximo voo da Blue Origin

A quarta missão tripulada do New Shepard levará seis passageiros, mas nenhum piloto, pois a cápsula espacial é um sistema automatizado. 

Os passageiros do voo espacial NS-20, quarta missão tripulada da Blue Origin. Imagem: Blue Origin

Anunciado por último, como substituto do ator e comediante Pete Davidson, Gary Lai é diretor sênior e arquiteto-chefe do sistema New Shepard. Ele ingressou na Blue Origin em 2004 e foi um dos primeiros 20 funcionários da empresa. “Seus cargos anteriores incluem diretor sênior de engenharia de design, arquiteto de sistemas, líder de elemento de cápsula de tripulação, gerente de programa de desenvolvimento de tripulação comercial da Nasa, engenheiro de sistemas líder e líder de localização com responsabilidade por pesquisa e desenvolvimento avançados”, diz um comunicado emitido pela Blue Origin. “Gary esteve envolvido no desenvolvimento de produtos, planejamento estratégico e desenvolvimento de negócios para todas as linhas de produtos da Blue Origin, incluindo o veículo de lançamento orbital New Glenn, programas de motores de foguete e o módulo lunar Blue Moon”.

George Nield é o atual presidente da Commercial Space Technologies, LLC e já ocupou vários cargos na indústria espacial. Seu currículo de trabalhos anteriores inclui administrador associado do Escritório da Administração Federal de Aviação de Transporte Espacial Comercial dos EUA e gerente do escritório de integração de voo do programa de ônibus espaciais da Nasa. Ele também ocupou cargos no Centro de Testes de Voo da Força Aérea, na Orbital Sciences Corp. – hoje, por meio de fusões, parte da Northrop Grumman – e na Academia da Força Aérea dos EUA.

Sharon Hagle é fundadora da SpaceKids Global, organização sem fins lucrativos criada em 2015 que visa despertar o interesse dos jovens, especialmente as meninas, em STEAM (ciência, tecnologia, engenharia, artes e matemática). Entre suas várias atividades, a SpaceKids Global leva cartões postais ao espaço por meio da organização Club for the Future, da Blue Origin.

Marc Hagle, marido de Sharon, é presidente e CEO de uma corporação de desenvolvimento imobiliário, a Tricor International. A empresa desenvolveu e possui mais de 1,6 milhão de metros quadrados de propriedades em vários setores, de acordo com a descrição da missão da Blue Origin. Os Hagles são filantropos de várias instituições de caridade nas artes, ciências, saúde e educação. Em 2013, eles constavam como compradores antecipados de ingressos da Virgin Galactic, de acordo com o USA Today. Agora, não se sabe se eles ainda planejam um voo futuro com a empresa.

Marty Allen, investidor e CEO de várias empresas, supervisionou a reestruturação da falência da Party America e ajudou a transformá-la em uma varejista nacional. Ele também levou a California Closet Company, uma empresa de organização doméstica, a altas vendas e lucros. 

Para finalizar, Jim Kitchen, empresário e membro do corpo docente da Kenan-Flagler Business School, da Universidade da Carolina do Norte. Diz-se que ele se inspirou assistindo aos lançamentos de foguetes do programa Apollo quando criança. Ele também promoveu o transporte espacial em órbita baixa da Terra para uma startup desconhecida na década de 1980. Segundo o comunicado da Blue Origin, Kitchen visitou todos os 193 países reconhecidos pelas Nações Unidas.

Leia mais:

Como é o voo e a preparação dos tripulantes

Os passageiros da nave New Shepard ficam “sem peso” no espaço suborbital por cerca de três minutos durante cada missão, quando alcançam a microgravidade. Conforme dito anteriormente, cada voo New Shepard dura cerca de 11 minutos desde o lançamento até o pouso da cápsula. 

O foguete é estabilizado aerodinamicamente usando um anel e aletas em cunha para ajudá-lo a fazer um pouso suave. A tripulação desce independentemente em sua cápsula, de paraquedas.

Com base em missões anteriores, a maioria dos passageiros da Blue Origin recebe cerca de 14 horas de treinamento pré-voo durante alguns dias, cobrindo voos básicos e procedimentos de emergência. Um astronauta da Nasa, por outro lado, normalmente tem 2,5 anos de treinamento básico antes de ser qualificado para voos e, em seguida, pelo menos mais dois anos de treinamento para uma missão à Estação Espacial Internacional.

Os tripulantes da Blue Origin usam macacões da empresa em vez de trajes espaciais volumosos. O objetivo é tornar mais fácil para as pessoas se movimentarem durante a ausência de peso e admirarem a vista.

Um documento de termos e condições para passageiros em potencial da Blue Origin lista vários requisitos para aqueles que desejam voar com a empresa. Ser capaz de vestir trajes de voo por conta própria e subir sete lances de escadas na torre de lançamento em menos de 90 segundos são duas das exigências mínimas. 

Embora os voos espaciais suborbitais sejam menos perigosos do que as missões orbitais, os riscos existem. Os passageiros precisam estar preparados para possíveis problemas, como despressurização da cabine ou incêndio. Eles também devem suportar múltiplas forças de gravidade (cargas G) durante o lançamento e o pouso. Em caso de emergência, a tripulação é treinada para se soltar em 15 segundos.

Ingresso dá direito a conhecer as instalações da Blue Origin

Remotas e geralmente fechadas ao público, as instalações da Blue Origin no deserto do oeste do Texas ficam a cerca de 40 quilômetros da cidade de Van Horn. Chamada de Launch Site One, apenas os funcionários da Blue Origin, os clientes da empresa e alguns meios de comunicação podem ver a edificação de perto. 

Qualquer pessoa, no entanto, pode ver conhecer o local por meio de um pequeno vídeo de divulgação feito pela Blue Origin. Quem pagar por um voo, receberá um tour pelas instalações de apoio e pela espaçonave, segundo o vídeo. 

Para garantir sua vaga, você pode se inscrever para voos futuros no site da Blue Origin, mas a programação e os preços não estão disponíveis publicamente. Tendo em vista que a empresa começou seus voos tripulados no ano passado, é provável que haja uma lista extensa de clientes em espera. Normalmente, a Blue Origin também reserva um dos seis assentos da espaçonave para uma “estrela” da mídia – como o ator William Shatner e o apresentador de TV Michael Strahan, uma forma de atrair ainda mais atenção da imprensa.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Deixe sua opinião
Tags