Um estudo publicado no Journal of Urology apontou um novo tratamento não cirúrgico capaz de destruir pedras nos rins com ondas sonoras. A pesquisa apresentou o caso de 19 voluntários tratados com sucesso.  

Denominada litotripsia, o novo tratamento utiliza ondas de explosão (BWL) e fragmentou os cálculos renais e visa ajudar pessoas que precisam passar por cirurgias para tratar o problema.  

publicidade

Leia também!

Apesar de ser comum e atingir mais de 15% da população durante toda a vida, muitas pessoas não conseguem expelir as pedras e necessitam passar por intervenções cirúrgicas para evitar danos permanentes e agravamento do problema.

As ondas sonoras criadas por ondas de choque já foram utilizadas para destruir pedras nos rins, no entanto, era necessário sedar ou anestesiar os pacientes. No novo tratamento, a sedação não é necessária e o procedimento pode ser feito em locais mais informais.  

O procedimento usa pulsos cíclicos curtos de energia de ultrassom para partir os cálculos renais em fragmentos iguais ou menores a 2 milímetros.  

Pesquisadores descobrem novo tratamento para destruir pedras nos rins com ondas sonoras. Crédito: Irina Petrakova/Shutterstock

“A capacidade de quebrar pedras de forma não invasiva e expelir os fragmentos em pacientes acordados na primeira apresentação no pronto-socorro ou clínica tem o potencial de fornecer tratamento just-in-time, levando a uma redução da dor geral, custo e sobrecarga de recursos associados a uma pedra evento”, diz a pesquisa.  

Na aplicação prática do tratamento, a pesquisa relatou que as ondas sonoras foram administradas durante 10 minutos e cerca de 90% do volume total de cálculos foi quebrado, com cerca de 39% completamente fragmentado e outros 52% fragmentado de maneira parcial. 

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!