O Dia Mundial do Backup é celebrado nesta quinta-feira, dia 31 de março. Aproveitamos a ocasião para preparar um conteúdo especial sobre o tema, destacando o que é o backup e por quais motivos é tão importante manter cópias dos seus arquivos mais importantes em mais de um local.

Afinal, o que é fazer um backup?

A premissa básica do backup é: criar cópias dos seus arquivos em outros dispositivos, seja um pendrive, HD externo ou na nuvem.

publicidade

Além de evitar uma tremenda dor de cabeça se o seu computador pifar ou for roubado, por exemplo, dessa forma, é certo que suas fotos e vídeos importantes estarão sempre a salvo.

A prática é ainda mais importante no caso de empresas, que podem ver dados sensíveis desaparecer da noite para o dia em caso de um ataque hacker.

publicidade

A perda de arquivos, inclusive, é um problema que costuma ocorrer ainda por falhas técnicas como quedas de energia, o que já pode ser o suficiente para corromper os seus arquivos.

Uso da nuvem como ferramenta de backup

Dia Mundial do Backup: como manter os arquivos protegidos e longe de ransomware
Imagem: Graphic farm/Shutterstock

A nuvem é outro aliado importante quando o assunto é backup. Muitos serviços de armazenamento de dados baseados na tecnologia, como o Google Drive e o iCloud, oferecem alguns gigabytes gratuitos por padrão para os usuários de celulares Android e iPhone. O Google oferece 15 GB e a Apple 5 GB de graça. 

publicidade

Muitos smartphones se aproveitam do recurso para oferecer backup automático dos seus contatos, configurações, apps, e muito mais.

Também há outras alternativas no mercado como o OneDrive, da Microsoft. A boa notícia é que todos podem ser configurados para sincronizar e salvar automaticamente suas pastas mais importantes na nuvem.

publicidade

Nuvem no universo corporativo

Gustavo Leite, country manager para o Brasil da Veritas Technologies, explica mais sobre o backup na nuvem, uma ferramenta que é especialmente útil no meio corporativo. Para o executivo, a “adoção de várias nuvens para armazenamento de dados vem trazendo grandes benefícios para empresas em todo o mundo”. 

No entanto, Gustavo ressalta que como qualquer mudança no mercado, é um cenário que também cria novos desafios, como custos inesperados e mais complexidade operacional. Outra questão que vale ser avaliada é a maior vulnerabilidade a ameaças cibernéticas como o ransomware, já que a maior parte do dados passa a trafegar pela internet.

Leia mais:

Como se proteger de ataques virtuais

É notícia constante no Olhar Digital como os ataques virtuais estão cada vez mais sofisticados, muitas vezes focados justamente em roubar dados salvos na nuvem, já que o volume de informações sensíveis armazenadas dessa forma sempre aumenta.

Uma defesa contra ataques cibernéticos, como o ransomware, é manter as atualizações de software em dia. Buscar conhecimento sobre alertas que indicam uma ameaça ou um ataque e suas formas de disseminação, como sites falsificados e/ou downloads de arquivos infectados, também é uma estratégia que funciona.

Entretanto, nada dispensa o uso de algum tipo de solução de segurança para garantir uma proteção mais avançada contra ameaças. 

Prevenção é o melhor remédio

Ataques do tipo ransomware, por exemplo, estão diretamente ligados ao roubo e perda de dados pessoais, o que pode ser resolvido ou não mediante o pagamento de uma determinada quantia para o resgate dos arquivos. 

Fazer backup regularmente

Pode parecer repetitivo, mas evite armazenar todos os seus dados em um único lugar. Backups regulares são necessários, pois permitem que os seus dados saiam ilesos de ataques ransomware e outros problemas citados antes.

Se preferir, o usuário pode adotar algum serviço de backup externo na nuvem ou manter um HD ou SSD externo que possa ser desconectado da máquina quando não houver backups em andamento.

Outras dicas são:

  • Usar um firewall e um software antimalware para ajudar a identificar possíveis ameaças ou comportamentos suspeitos.
  • Nunca instalar ou conceder privilégios administrativos a um software, a menos que ele venha de uma fonte confiável.
  • Usar algum antivírus para que seu sistema possa detectar a execução de programas maliciosos.
  • Não ficar muito tempo sem atualizar suas senhas, o que aumenta as suas chances de sofrer um ataque.

Por fim, a data é mais um lembrete de que nunca houve um momento mais crítico para todos, especialmente as empresas, priorizarem a proteção de dados, já que em muitos casos não há sequer uma forma de recuperar os arquivos sem gastar uma pequena fortuna. 

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!