A Great Wall apresentou na quarta-feira (7) seu primeiro modelo a ser lançado no Brasil: o SUV médio Haval H6. A vinda do utilitário urbano era prevista desde o início do ano, quando a montadora chinesa anunciou um investimento de R$ 10 bilhões para produzir carros elétricos no país. Um protótipo do carro já se encontra em testes por aqui.

Líder de vendas no segmento de SUVs médios na China, o Haval H6 deve vir em duas configurações para o Brasil: híbrida plug-in (PHEV) e híbrida padrão (HEV). Na versão padrão, o utilitário trabalha com um motor 1.5 turbo com injeção direta de alta pressão, combinado a um elétrico de 177 cv. Juntos, produzem uma potência de 240 cv e 54 kgfm de torque.

publicidade

Já a versão híbrida plug-in é inédita no mundo e deve vir com uma potência combinada de 430 cv e torque de 77 kgfm, de acordo com informações da Great Wall. O carro também conseguirá andar 200 km sem gasolina, o que o tornaria um dos modelos híbridos recarregáveis com maior alcance elétrico no mercado. “O lançamento do Haval H6 será um marco da eletrificação no mercado brasileiro”, destaca Oswaldo Ramos, diretor comercial da GWM Brasil, em comunicado à imprensa.

O atual modelo do Haval H6 se encontra na terceira geração. Os primeiros lotes do SUV que virão ao Brasil serão importados da China, mas a ideia é que o carro seja futuramente produzido em território nacional, na fábrica de Iracemápolis, em São Paulo. Ainda não se sabe por quanto o utilitário será vendido aqui.

Além do Haval, a Great Wall deve lançar ainda no país carros da Tank, uma marca de SUVs de luxo off-road, e da Poer, de picapes médias híbridas. Já o primeiro carro da montadora produzida no Brasil só deve chegar às concessionárias no segundo semestre de 2023.

SUV médio Haval H6
Great Wall/Divulgação

Flerte de longa data

A Great Wall tenta iniciar uma operação no Brasil pelo menos desde 2012. Em princípio, a montadora chinesa venderia utilitários esportivos, picapes, sedãs e hatches em parceria com o grupo Caoa. Mas havia uma dúvida ainda se a marca se instalaria como importadora ou nomearia um representante. Desta forma, a consolidação da chegada protelou durante anos.

Em 2019, surgiram notícias de que a Great Wall iria adquirir a fábrica da Ford em São Bernardo do Campo (SP), o que acabou não se concretizando. Dois anos depois, porém, a montadora entrou em acordo com a Mercedes-Benz e comprou a planta dos alemães em Iracemápolis. Por lá, o plano é alcançar uma capacidade de 100 mil veículos anuais em 2025, com um efetivo de dois mil trabalhadores.

A operação no Brasil será a maior da montadora fora da China. Atualmente, a Great Wall é a maior montadora de picapes e SUVs em seu país.

Leia mais:

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!