Duas imagens recém-divulgadas mostram jatos estelares encurvados que são o subproduto da formação de estrelas. Sua aparência sinuosa é causada pela atração gravitacional de estrelas companheiras, de acordo com o Laboratório Nacional de Pesquisa em Astronomia Óptica-Infravermelha da Fundação Nacional de Ciência (NOIRLab), centro de pesquisa e desenvolvimento financiado pelo governo dos EUA.

À medida que as jovens estrelas giram, seus campos magnéticos interagem com o gás circundante, criando dois fluxos de gás ionizado emitidos em direções opostas, que podem ser vistos nas novas fotos feitas pelo telescópio Gemini South, localizado em uma montanha nos Andes chilenos e operado pelo NOIRLab.

publicidade

Gemini South é um telescópio óptico/infravermelho de 8,1 metros que usa um sistema óptico adaptativo, permitindo que os astrônomos neutralizem os efeitos embaçados do espaço e capturem as observações “cristalinas” desses jatos estelares sinuosos.

O telescópio Gemini South, no Chile, capturou um jovem jato estelar, chamado MHO 2147, localizado a 10 mil anos-luz da Terra no plano galáctico da Via Láctea. Imagem: International Gemini Observatory/NOIRLab/NSF/AURA

A primeira imagem mostra o MHO 2147, um jato estelar localizado a 10 mil anos-luz da Terra. Fica perto da fronteira entre as constelações de Sagitário e Ophiuchus, também chamada de Serpentário, no plano galáctico da Via Láctea.

publicidade

“MHO 2147 serpeia através de um cenário estrelado na imagem – uma aparência apropriadamente ‘de serpente’ para um objeto próximo a Ophiuchus”, diz o comunicado do NOIRLab.

O jato MHO 2147 está embutido em uma nuvem infravermelha-escura, que é uma região fria e densa de gás que não emite muita luz infravermelha. Ele é produzido por uma jovem estrela chamada IRAS 17527-2439, e mudou de direção ao longo do tempo, fazendo com que as saídas de ambos os lados da estrela se contorcessem e girassem pelo espaço.

publicidade

Observações recentes sugerem que o IRAS 17527-2439 pode pertencer a um sistema de estrelas triplas separado por quase mais de 300 bilhões de quilômetros. Portanto, segundo o NOIRLab, a mudança de direção do jato pode ser causada pelas interações gravitacionais entre IRAS 17527-2439 e outras estrelas próximas.

Leia mais:

publicidade
O jato estelar jovem atado MHO 1502 está embutido em uma área de formação estelar conhecida como região Hii. Imagem: International Gemini Observatory/NOIRLab/NSF/AURA

Na outra imagem, também fotografada pelo Gemini South, vê-se MHO 1502, um jato estelar mais próximo de nós, localizado a cerca de 2 mil anos-luz da Terra, na constelação de Vela. Esse jato estelar tem uma aparência atada, o que sugere que é o subproduto de duas estrelas que periodicamente emitem gás.

“A maioria dos jatos estelares são retos, mas alguns podem ser serpenteados ou amarrados. Acredita-se que a forma dos jatos irregulares esteja relacionada a uma característica do que os criou”, explica o comunicado do centro de pesquisas.

No entanto, o MHO 1502 está incorporado em um ambiente muito diferente — uma área de formação estelar conhecida como região Hii, o que pode ajudar a explicar sua aparência atada.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!