Coronavírus

Anvisa pede mais dados e ainda não autoriza CoronaVac em crianças de 3 a 5 anos

Por Matheus Barros, editado por Lucas Soares
15/04/22 13h59, atualizada em 15/04/22 14h24
Ampola e seringa CoronaVac e logo Butatan em fundo laranja

CoronaVac Butantan/Rafael Serathiuk/Shutterstock

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informou na noite desta quinta-feira (14) que estava solicitando ao Instituto Butantan mais dados para avaliar a liberação da vacinação contra a Covid-19 em crianças de 3 a 5 anos com a CoronaVac.  

De acordo com o órgão regulador, os dados enviados são insuficientes para recomendar o uso do imunizante. O Butantan pediu a liberação da Anvisa no dia 11 de março.  

Leia também!

“Após avaliação das considerações das sociedades médicas e dos estudos enviados pelo Instituto Butantan, os especialistas da Anvisa concluíram que os dados apresentados são insuficientes para a conclusão sobre o uso da vacina Coronavac para crianças de 3 a 5 anos”, disse a Anvisa. 

Atualmente, a CoronaVac é utilizada para vacinação de todos os adultos e também para crianças e adolescentes entre 6 e 17 anos.  

A Anvisa relatou que considera essencial a submissão de dados complementares sobre os estudos em andamento para considerar que o uso da vacina em crianças de 3 a 5 anos acarreta em benefícios à saúde.  

Covid-19: Anvisa pede mais dados para autorizar Coronavac em crianças de 3 a 5 anos. Marcelo Camargo/Agência Brasil

A agência pediu que o Instituto Butantan ofereça dados detalhados sobre a proteção conferida pelo imunizante para a faixa etária, além de apontar como essa proteção se mantém de dois a três meses após a vacinação, bem como após a aplicação da segunda dose.  

Também foram solicitados ao Butantan dados do relatório clínico de fase 3 de estudos da CoronaVac realizados na China para avaliação comparativa de imunogenicidade em crianças e adultos. 

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!

Deixe sua opinião
Tags