O desacoplamento da primeira tripulação totalmente privada do mundo na Estação Espacial Internacional foi adiado de sábado (23) para este domingo (24).

Tudo porque ventos fortes estavam previstos em locais de mergulho na costa da Flórida, nos Estados Unidos. “Na conclusão de um briefing meteorológico antes do desacoplamento planejado deste sábado (23), as equipes da NASA, Axiom Space e SpaceX optaram por adiar a tentativa de desacoplamento devido a uma calha diurna de vento fraco que vem causando ventos fortes nos locais de pouso”, disse a NASA.

publicidade

Se o tempo permitir, a tripulação do Ax-1 deve fechar a escotilha por volta das 17h45 (horário de Brasília) deste domingo (24), para voltar para a Terra na nave SpaceX Dragon Endeavour com aterrissagem na costa da Flórida aproximadamente às 12h de segunda-feira (25).

Os astronautas da Ax-1 foram lançados ao espaço em 8 de abril, a bordo de uma cápsula Crew Dragon, no topo de um foguete Falcon 9, ambos da SpaceX.

publicidade

O ex-astronauta da NASA Michael López-Alegría é o comandante da missão, que conta ainda com o filantropo canadense Mark Pathy, além do empresário israelense Eytan Stibbe e do empresário e piloto Larry Connor.

Astronautas da missão Ax-1. Imagem: Axiom Space

Três dos quatro tripulantes da missão Ax-1 foram recebidos pelos membros da Estação Espacial Internacional (ISS) como “astronautas honorários”, pelo fato de serem pessoas civis sem experiência de voo espacial que ficarão hospedados na estrutura orbital durante dias.

publicidade

Leia também

“Eu devo dizer que essa é realmente uma experiência única”, disse o comandante durante uma transmissão junto de seus companheiros de viagem e dos membros da Expedição 67 – os atuais ocupantes da ISS. “Eu não sei nem como começar a descrever como foi estar dentro da Crew Dragon pelo último dia e meio, vendo os rostos desse pessoal se iluminarem”.

publicidade

O comandante então anunciou o reconhecimento de seus companheiros de tripulação como astronautas honorários: “há uma tradição que diz que, quando você cruza uma determinada fronteira — e essa fronteira é discutível, mas nos EUA, ela fica em uns 80 km —, você se torna um astronauta pela altitude atingida, e foi isso que aconteceu com essas três pessoas, pela primeira vez, ontem [sexta-feira, 8]”, ele comentou, em seguida entregando broches que comprovam a conquista dos viajantes civis.

Quando mencionou o termo “discutível”, López-Alegria se referiu ao limite estabelecido para o que consiste “viajar ao espaço”. Explicando: o consenso internacional afirma que a chamada “Linha de Kármán” – a 100 km acima da superfície da Terra – é a fronteira que separa o nosso planeta do espaço. Entretanto, os EUA têm um limite menor que este, há cerca de 80 km de altitude.

Essa demarcação gera alguns debates sobre alguém ser ou não um astronauta – foi esse o ponto de debate sobre Jeff Bezos, fundador do grupo Amazon e da empresa aeroespacial Blue Origin, ter ou não a honraria oficialmente reconhecida, quando viajou com a Nave New Shepard em julho de 2021.

O broxe da associação internacional de astronautas foi oferecido aos tripulantes da missão Ax-1, como reconhecimento por sua chegada à ISS, entretanto, honraria pode ser questionada no âmbito internacional
O broxe da associação internacional de astronautas foi oferecido aos tripulantes da missão Ax-1, como reconhecimento por sua chegada à ISS, entretanto, honraria pode ser questionada no âmbito internacional (Imagem: International Space Explores Association/Divulgação)

Em outras palavras: é provável que a NASA reconheça os três tripulantes como astronautas – foi a agência americana quem intermediou a operação do voo com a Axiom Space e a SpaceX, dona da Crew Dragon. Se isso será reconhecido internacionalmente, no entanto, é outra história. Uma a ser vista mais para frente.

A tripulação de astronautas honorários da missão Ax-1 conduziu diversas pesquisas voltadas a vários campos, mas majoritariamente falando, a ideia é atuar em estudos de saúde, graças à parceria da Axiom Space com diversas entidades hospitalares dos EUA. Outra faceta da pesquisa será o estudo de tecnologias para a própria Axiom.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!