O WhatsApp confirmou nesta quarta-feira (27) em reunião com o presidente Jair Bolsonaro que lançará seu novo recurso no Brasil, chamado de Comunidades, apenas após as eleições de outubro. A plataforma, no entanto, disse que isso não faz parte do acordo junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para combater Fake News.

“A data de lançamento deste recurso no Brasil foi tomada exclusivamente pela empresa, tendo em vista a confiabilidade do funcionamento do recurso e sua estratégia de negócios de longo prazo. Essa decisão não foi tomada a pedido nem por acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE)”, diz nota divulgada pela empresa após a reunião com o presidente. 

publicidade

O WhatsApp ainda disse que avalia o melhor momento para o lançamento das Comunidades no Brasil, sem dar uma data, mas garantindo que será apenas após outubro. A empresa já havia declarado isso para o TSE. 

Bolsonaro contra acordo do WhatsApp com TSE

No último dia 15, Bolsonaro disse que o eventual acordo entre o WhatsApp e o TSE era “inadimissível”. “E já adianto. Isso que o WhatsApp está fazendo no mundo todo, sem problema. Agora, abrir uma excepcionalidade para o Brasil, isso é inadmissível, inaceitável, e não vai ser cumprido, este acordo que por ventura eles realmente tenham feito com o Brasil, com informações que eu tenho até o presente momento”, disse Bolsonaro durante um passeio de moto com apoiadores em São Paulo.

Leia mais:

As comunidades, por enquanto, seguem apenas em testes em alguns lugares do mundo. Segundo Mark Zuckerberg, CEO da Meta, dona do WhatsApp, as comunidades vão “facilitar a organização de todos os seus bate-papos em grupo e encontrar informações. Você poderá reunir grupos diferentes em uma comunidade — por exemplo, além de grupos individuais para turmas diferentes, você poderia ter uma comunidade geral para pais em uma escola com um canal central para anúncios e ter mais controle”.

A função é mais um formato de organização de grupos do que de grupos abertos, como no caso do Telegram, que ficou marcado pela propagação de fake news nesses ambientes. No entanto, como cada grupo pode ter até 256 pessoas e cada comunidade pode contar com 10 grupos, passar informações para um número maior de pessoas se torna mais fácil com o novo sistema. Por enquanto, também não há uma data certa em outras partes do mundo.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!