Cirurgiões do Southmead Hospital, na Inglaterra, realizaram um pequeno implante cerebral que foi capaz de reverter os sintomas do Parkinson. O dispositivo colocado no cérebro é capaz de substituir os padrões anormais de disparo de células causados pela doença.  

O Parkinson é uma doença que não tem cura e afeta o cérebro de maneira progressiva, danificando pequenas regiões com o decorrer do tempo. Os sintomas mais comuns da doença envolvem tremores involuntários, dificuldade de locomoção e rigidez nos músculos.  

publicidade

Leia também!

O dispositivo utilizado no implante cerebral é o menor já criado. Normalmente, o tratamento é feito com a implantação de uma bateria grande no peito do paciente com fios passando sob a pele até chegar ao topo da cabeça.

O novo implante é feito diretamente no crânio e oferece impulsos elétricos para áreas específicas do cérebro por meio de sondas que chegam nos núcleos subtalâmicos do centro do cérebro.  

O Parkinson normalmente atinge pacientes com mais de 50 anos, mas cerca de 5% dos pacientes apresentam os primeiros sintomas aos 40. O novo implante cerebral seria perfeito para essas pessoas que desenvolvem a doença de maneira precoce.  

O neurologista Alan Whone explicou que dos 140 mil pacientes de Parkinson do Reino Unido, apenas 14 mil poderiam se beneficiar do novo dispositivo. “Se você é mais idoso, ou se tem problemas de memória como parte de seu Parkinson, isso não seria adequado para você”, lamenta.  

mulher com Parkinson segurando copo de água
Implante cerebral é capaz de reverter sintomas de Parkinson. Imagem: Shutterstock

“Mas se você é uma pessoa mais jovem com Parkinson, que pode fazer uma cirurgia no cérebro e assim por diante, isso se torna muito mais aplicável a esse grupo”, acrescentou. 

Cerca de 25 pacientes vão receber o implante. O primeiro voluntário contou que sentiu um impacto “incrível” na sua vida. Tony Howells relatou que após receber o dispositivo conseguiu andar longas distâncias, o que era impedido de fazer pelo Parkinson.   

Via: BBC

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!