O terceiro caso de raiva humana foi confirmado em Minas Gerais nesta sexta-feira (29). O novo caso foi de um menino de cinco anos, que morreu no último dia 17. No total, duas crianças morreram e uma está internada. As informações são da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG).

Amostras do sangue da criança foram colhidas para a realização de exames para confirmar a presença do vírus.  O primeiro caso foi de um menino de 12 anos, que morreu vítima da doença. O segundo foi de uma menina, da mesma idade, que segue internada. 

publicidade

Todos os casos são da zona rural da cidade de Bertópolis, no Vale do Mucuri. Nos dois primeiros, foi relatada a mordida de um morcego, que é apontado como o provável transmissor do vírus da raiva humana para as crianças, que são indígenas da tribo Maxacali.. Um quarto caso, de uma menina de 11 anos, também é investigado. 

Entenda a raiva humana

De acordo com o Ministério da Saúde, a raiva humana é uma doença que afeta o sistema nervoso central e acomete o portador por meio de um vírus geralmente transmitido por outro mamífero, sendo o morcego um dos mais comuns deles. A doença possui uma taxa de mortalidade próxima a 100% e normalmente mata o paciente entre 5 e 7 dias após o início dos sintomas.

publicidade

eia também!

Não existe tratamento eficaz contra a raiva humana, o protocolo, após os sintomas, consiste na indução de coma profundo, uso de antivirais e outros medicamentos específicos. No entanto, existe a vacina antirrábica, que precisa ser aplicada o mais rápido possível para evitar o início da doença.

publicidade

Os sintomas só aparecem quando o vírus atinge o cérebro, normalmente cerca de 45 dias após a infecção, mas esse período de incubação pode ser menor em crianças e adolescentes. Os primeiros sintomas são parecidos com os sintomas da gripe, como: mal-estar geral, sensação de fraqueza, dor de cabeça, febre baixa e irritabilidade. Na medida que o vírus acomete o cérebro, sintomas como alucinações, confusão mental e outros problemas de origem neurológica podem surgir.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!