O Disney+ lançou a série documental “Do Esboço à Realidade” e o Olhar Digital conversou com os artistas por trás das animações da Disney. A série tem seis episódios e cada um deles acompanha um artista da Disney Animation, que contam suas trajetórias ao mesmo tempo em que ensinam os expectadores a desenhar um personagem icônico do estúdio escolhidos por eles, e que carregam um significado especial em suas carreiras.

Assim, a Disney nos convida a “olhar por trás da cortina” de suas animações e conhecer esses profissionais incríveis. O Olhar Digital conversou com os seis artistas do mundo da animação, de diferentes idades, níveis de experiência e vindos de caminhos diferentes em suas carreiras, e com o diretor e produtor executivo da série, Jason Sterman.

publicidade

“Uma das coisas legais que as pessoas costumam dizer para mim é: ‘você animou minha infância’,” comentou Mark Henn, estrela do episódio 6, “O Rei Leão / Simba”. “Ouvir isso é sempre, sempre, muito comovente. E eu aprecio isso porque, como artista, você quer criar algo para o público, e acho que esse é um dos melhores elogios.”

disney+
A versão jovem de Simba será detalhada na série “Do Esboço à Realidade”, do Disney+. Imagem: Reprodução/Disney

“Muitas vezes, quando terminamos de animar um filme, e então o filme está lá fora no mundo, é quase como seu filho, tipo: ‘Eles estão vai se dar bem? Tipo, olhe para eles, por conta própria, fazendo o seu próprio mundo.’ E então, quando você começa a trabalhar neles novamente, é como dizer: ‘bem-vindo ao lar, deixe-me dar-lhe outro abraço’. E é sempre como um sentimento muito amigável,” explicou Hyun Min Lee, que ensina a desenhar o Olaf de “Frozen” no episódio 2, sobre a sensação de revisitar os personagens.

publicidade

Eric Goldberg, que desenha o Gênio de “Aladin” no episódio 3, quer que a série sirva como inspiração para as pessoas. “Eu acho que esta série me fez lembrar que todos nós já passamos pela escola, e de vez em quando há um professor que é realmente inspirador. E se cumprirmos esse tipo de papel para os jovens com esse tipo de série, você sabe, é ótimo poder dizer ‘ok, talvez alguém se inspire para fazer isso’,” explicou.

“É tão fascinante como os personagens da Disney, como isso impacta as pessoas, como me impactou, eu mesmo, 50 anos atrás, numa pequena cidade na Coréia, em cinemas pequenos,” refletiu o designer coreano Jin Kim, que ensina como desenhar o Capitão Gancho no episódio 4. “Sim, talvez daqui há 50 anos, ou cem anos, acho que ainda será a mesma coisa.”

publicidade

Já Gabby Capili, que desenha Kuzco no episódio 1, pensa em servir como representatividade para meninas que eram como ela na infância. “Para mim, eu era uma grande moleca enquanto crescia, então a maioria dos meus modelos eram caras como Walt ou Kuzco. Terk de Tarzan foi muito importante para mim porque ela era uma moleca também. Mas é legal pensar que tipo ‘ah, eu estarei na TV, tipo desenhando e dizendo às crianças que elas podem fazer isso’ e então elas terão outra moleca para admirar, em vez de apenas garotos. Então é legal.”

do esboço à realidade
Divulgação/Disney+

Samantha Vilfort, que ensina a desenhar a nova sensação Mirabel, de “Encanto”, recordou que costumava assistir aos créditos dos filmes em busca dos nomes das pessoas envolvidas nas animações e seus papéis. “Eu meio que quero enfatizar para as crianças que eu era assim como elas, que é totalmente possível, e é empolgante que as crianças possam se espelhar em todos nós ou interpretar nossos episódios como algo alcançável para elas,” explicou. “Eu não sabia muito bem como chegar aqui, não sabia qual era o caminho. Ouvindo todas as nossas histórias, eles podem ver que todo mundo tem um caminho diferente e esse pode ser o seu caminho”.

publicidade

“Eu acho que [a série] serve algumas coisas diferentes. Acho que uma coisa é que existe algo incrível no formato da animação porque ela te leva a lugares mágicos. O que você não vê na animação são os humanos que estão por trás disso e tornam tudo isso possível,” comentou Sterman.

O diretor e produtor executivo ainda continuou: “Acho que ter a capacidade de abrir a cortina, se você quiser, em alguns dos indivíduos que fazem todas essas histórias, e todos esses filmes ganham vida de uma maneira que ressoa muito conosco, e obter uma melhor compreensão de quem são essas pessoas, acho que permitirá que as pessoas assistam a esses filmes novamente com algo novo para tirar deles”.

Leia mais!

Sterman explicou que por mais que seja ótimo que alguém possa encontrar um caminho na profissão da animação por meio da série, este não é exatamente o objetivo. “Isso também pode ser uma saída criativa onde você encontra algo dentro de si mesmo,” afirmou Sterman. “E acho que a capacidade de superar a hesitação natural do medo de que, se você não pode fazer algo perfeito, não vale a pena fazê-lo, acho que isso permite que você tente algo e fique surpreso com o que sairá. Porque a perfeição está apenas nos olhos de quem vê, certo?”

“Do Esboço à Realidade” tem seis episódios e está disponível no Disney+.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!