Um satélite distante da NASA capturou linhas curiosas cruzando uma cratera de Marte. Para a equipe de pesquisa do High Resolution Imaging Science Experiment (HiRISE), da Universidade do Arizona, nos Estados Unidos, não há dúvida de serem rastros naturais deixados por demônios de poeira marcianos.

“Os diabos de poeira em Marte se formam da mesma maneira que na Terra“, explicou HiRISE ao site Mashable. Isso acontece quando o solo fica mais quente que o ar, aquecendo o ar acima dele. As correntes ascendentes sobem enquanto o ar mais frio desce, criando ar circulando verticalmente. Vale ressaltar que os diabos de poeira em Marte podem ser muito maiores do que os da Terra.

publicidade
Marte
Marte. Imagem: NASA/ JPL-Caltech/ University Of Arizona

Os cientistas da HiRISE compararam imagens passadas de dunas do planeta vermelho e chegaram a conclusão de que redemoinhos de poeira formaram as trilhas, ao contrário de pedregulhos caindo sobre o terreno. O satélite da NASA capturou esses rastros de poeira no leste de Aonia Terra, uma área com várias ncrateras no hemisfério sul de Marte.

Já em algumas outras partes do planeta, robôs do tamanho de carros, tipo o rover Perseverance da NASA, deixam rastros não naturais enquanto exploram um rio seco na cratera Jezero do planeta, um lugar que uma vez fervilhava de água bilhões de anos atrás. O rover Perseverance está procurando evidências de vida primitiva já extinta.

Leia mais:

“Se Marte hospedasse vida durante esse período, restos ou assinaturas desses organismos poderiam ser preservados em algumas dessas rochas antigas”, observou a agência espacial.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!