Internet e Redes Sociais

Elon Musk quer dobrar receita do Twitter apenas com assinaturas e chegar a US$ 10bi

08/05/22 17h12, atualizada em 10/05/22 16h54
O vídeo está sendo carregado - aguarde...

Elon Musk pode até já ter declarado que não visava lucro financeiro com a compra do Twitter, mas o homem mais rico do mundo espera que a rede social ganhe US$ 10 bilhões em receita de assinaturas até 2028, uma projeção que dobra os US$ 5 bilhões em receita total que a plataforma fez no ano passado, de acordo com um relatório do The New York Times.

Musk deu aos investidores uma amostra do que esperar sob sua propriedade. Isso supostamente inclui aumentar os assinantes do Twitter Blue para 69 milhões até 2025 e mais do que dobrar esse número para 159 milhões até 2028.

Lançado no ano passado, o Twitter Blue é a assinatura do serviço que custa mensalmente US$ 2,99, que dá aos usuários recursos exclusivos como o acesso a um botão “desfazer tweet”, a personalização de aplicativos, e ler artigos sem anúncios. Musk também espera um grande crescimento no total de usuários do Twitter, passando dos 217 milhões relatados no ano passado para 600 milhões em 2025 e, eventualmente, 931 milhões de usuários em 2028.

Novo serviço


O relatório também descreve os planos para um serviço de assinatura ainda sem nome, fora do Blue, chamado “X”, que Musk espera trazer nove milhões de assinantes em 2023 e 104 milhões até 2028. No início desta semana, Musk sugeriu cobrar de governos e corporações um “pequeno custo” para usar o Twitter. Qualquer que seja a assinatura “X”, a receita dela e da Blue combinada deve atingir a marca de US$ 10 bilhões até 2028, representando uma grande parte dos US$ 26,4 bilhões em receita total esperada por Musk no mesmo ano.

De acordo com o Times, o Twitter deve compor o restante de sua receita total projetada com anúncios. Musk prevê que a empresa ganhará cerca de US$ 12 bilhões com publicidade até 2028. O Twitter dependia disso como principal fluxo de receita no passado, mas Musk, que disse em um tweet, agora excluído, que a rede social deveria remover anúncios para assinantes pagos. O novo dono quer que os anúncios representem apenas 45% da receita total.

Musk supostamente inclui planos de arrecadar US$ 15 milhões em algum tipo de negócio de pagamentos, que ele espera crescer para US$ 1,3 bilhão até 2028. O Twitter atualmente permite que os usuários dêem dicas aos criadores, comprem Super Follows e interajam com recursos limitados de compras que ligam os usuários aos sites dos fornecedores para fazer compras. Com Musk sendo um dos cofundadores do PayPal, no entanto, ele pode ver algum espaço para expandir.

Leia mais:

Mudanças nos termos de serviço

O Times observa que Musk também espera que o Twitter ganhe uma parte não especificada da receita por meio de licenciamento de dados, um negócio que envolve a venda de milhões de tweets diários em sua plataforma para empresas e desenvolvedores que analisam dados para obter insights de mercado ou tendências de consumo. No ano passado, o Twitter ganhou US$ 572 milhões em licenciamento de dados e “outras receitas”, mas não está claro como ou se Musk planeja expandir esse negócio.

Se o Twitter revender tweets individuais, o editor-chefe do site The Verge, Nilay Patel, aponta que Elon “teria que mudar radicalmente os termos de serviço” do Twitter, sem mencionar enfrentar “enormes problemas de compartilhamento de receita e uso justo”, como os direitos autorais dos tweets pertencem aos usuários que os postaram.

Reconstruir os serviços do Twitter exigirá algum trabalho, um provável fator por trás dos planos de Musk de contratar 3.600 funcionários adicionais. O Times observa que Musk pretende ter 11.072 funcionários até 2025.

Via: The Verge

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Deixe sua opinião
Sugeridos pra você