Coronavírus

Bill Gates testa positivo para Covid-19

Por Lucas Soares, editado por Acsa Gomes
11/05/22 15h38, atualizada em 11/05/22 21h37
O vídeo está sendo carregado - aguarde...

O bilionário Bill Gates entrou em isolamento após testar positivo para Covid-19 nesta terça-feira (10). No Twitter, o fundador da Microsoft disse que está com sintomas leves e que foi vacinado contra a doença. Gates ganhou destaque durante a pandemia por ser um dos principais defensores da imunização contra o coronavírus. 

“Testei positivo para COVID. Estou com sintomas leves e estou seguindo os conselhos dos especialistas, isolando-me até estar saudável novamente”, escreveu Gates. O bilionário ainda disse ter sorte de já ter sido vacinado e desenvolver apenas sintomas leves.

Bill Gates relatou que se preparava para o encontro da Fundação Fundação Gates, que está se reunindo presencialmente pela primeira vez desde o começo da pandemia. O fundador do projeto, entretanto, disse que vai participar utilizando o Microsoft Teams.

A fundação Gates investiu pelo menos US$ 1,75 bilhão no combate à Covid-19. O bilionário chegou a ser vítima de movimentos negacionistas que, sem nenhuma evidência o culpavam pela pandemia. 

Bill Gates e a força-tarefa contra Covid-19

Gates disse recentemente que pretende criar uma “força-tarefa” com mais de 3 mil membros e um orçamento bilionário para detectar surtos de doenças e evitar novas pandemias. Segundo o empresário, com o esforço correto a Covid-19 pode ser a última pandemia enfrentada pela humanidade.

Leia mais:

O anúncio foi feito durante uma palestra TED. Gates informou que o grupo ficaria subordinado à Organização Mundial de Saúde (OMS) e contaria com cerca de US$ 1 bilhão para agir para evitar futuras pandemias. O nome seria GERM, Global Epidemic Response and Mobilization na sigla em inglês ou “resposta e mobilização global à epidemia” em tradução direta.

“GERM é composto por um conjunto diversificado de especialistas,epidemiologistas, cientistas de dados, especialistas em logística, e não são apenas científicos e médicos. Eles também precisam ter habilidades de comunicação e diplomacia”, explicou o bilionário.

“Poderia haver períodos sem riscos de surtos, e para manter as habilidades da equipe GERM firmes e fortes, ela trabalharia em outras doenças infecciosas, mas isso seria uma segunda prioridade. Eles trabalhariam com os países para fortalecer seus sistemas de saúde”, completou.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!

Deixe sua opinião
Sugeridos pra você
Tags