O Twitter anunciou um novo modo para conter a disseminação de fake news. A plataforma vai analisar conteúdos que considerar falso e cobri-los com um aviso, além de desativar os retweets e curtidas da postagem.  

As mudanças fazem parte de uma nova política de desinformação de crise que visa evitar que notícias falsas ganhem popularidade durante momentos de conflitos generalizados, como a guerra entre Ucrânia e Rússia.  

publicidade

Leia também!

Para determinar quais postagens possuem informações falsas, o Twitter exigirá a verificação de fontes públicas confiáveis, incluindo grupos de monitoramento de conflitos, organizações humanitárias, investigadores de código aberto, jornalistas e outros.  

Além das atitudes já citadas, a rede social também vai gerar um link na postagem que levará os usuários para uma página com mais detalhes da nova política de desinformação de crise. O Twitter não apagará os tweets para preservar a responsabilidade dos autores.  

Serão priorizadas postagens virais ou aquelas feitas por contas de alto perfil, como de usuários verificados, mídia filiada ao Estado e até mesmo contas que representem órgãos públicos.  

Nova regra de fake news do Twitter
Imagem: Reprodução/Twitter

“Descobrimos que não amplificar ou recomendar determinado conteúdo, adicionar contexto por meio de rótulos e, em casos graves, desabilitar o envolvimento com os Tweets, são maneiras eficazes de mitigar danos, preservando o discurso e os registros de eventos globais críticos”, afirmou o chefe de segurança e integridade do Twitter, Yoel Roth. 

Segundo Roth, essa atitude de não amplificar o conteúdo falso poderá reduzir a propagação das postagens entre 30% e 50%. “A moderação de conteúdo é mais do que apenas deixar ou remover conteúdo”, disse.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!