O valor da indenização a ser pago pela atriz Amber Heard ao ex-marido Johnny Depp, inicialmente fixado em US$ 15 milhões, foi reduzido.

A juíza responsável pelo caso, Penney Azcarate, reduziu o valor a ser pago por Amber Heard ao fim de leitura do veredito, de US$ 15 milhões para cerca de US$ 8 milhões. A atriz foi condenada pelo júri do Tribunal do Condado de Fairfax, no processo de difamação movido por Depp.

O motivo da redução foi que os jurados dividiram a indenização a ser paga por Heard em duas partes: US$ 10 milhões como medidas compensatórias pela difamação contra Johnny Depp, a que ela foi condenada, e US$ 5 milhões como medidas punitivas.

No entanto, o valor de US$ 5 milhões foi reduzido para US$ 350 mil pela juíza Azcarate após a leitura do veredito, para seguir o teto máximo do estado de Virginia para indenizações de caráter punitivo.

publicidade

Por sua vez, Johnny Depp também foi condenado em US$ 2 milhões por difamação contra Amber Heard. Deste modo, deduzindo este valor, a atriz terá que pagar US$ 8,35 milhões ao ex-marido.

Entenda o veredito de Heard x Depp

O julgamento resultou em o júri decretar vitória de Johnny Depp nas três alegações de difamação que o ator fez contra a ex-esposa, Amber Heard. De acordo com a defesa do ator, Heard o difamou em três pontos de um artigo de 2016, publicado pelo jornal Washington Post.

Você pode entender melhor todo o caso aqui.

O júri, por sua vez, concordou que os três trechos eram de fato difamatórios. Os pontos do artigo são os seguintes: quando Heard diz que falou “contra a violência sexual – e enfrentei a ira da nossa cultura”, o ponto em que afirma que “dois anos depois, eu me tornei uma figura pública representando o abuso doméstico, e senti a força da ira de nossa cultura contra mulheres que denunciam”, e o terceiro, em que ela afirmou que “eu tive o raro ponto de vista, em tempo real, como as instituições protegem homens acusados de estupro.”

Já Amber Heard venceu apenas uma das três alegações que fez contra Depp. A fala que rendeu a condenação contra Depp é de um dos advogados dele, que disse: “Simplesmente isso foi uma emboscada, uma farsa. Eles armaram o Sr. Depp chamando a polícia, mas a primeira tentativa não funcionou. Os policiais chegaram às coberturas, revistados e interrogados minuciosamente, e saíram depois de não verem nenhum dano ao rosto ou à propriedade. Então, Amber e suas amigas derramaram um pouco de vinho e desarrumaram o lugar, colocaram suas histórias diretamente sob a direção de um advogado e publicitário e, em seguida, fizeram uma segunda ligação para o 911.”

Leia mais!

No entanto, o júri não considerou as seguintes declarações do advogado de Depp como difamatórias, como Amber Heard acusava: “Amber Heard e seus amigos na mídia usam alegações falsas de violência sexual como espada e escudo, dependendo de suas necessidades. Eles selecionaram alguns de seus ‘fatos’ de fraude de violência sexual como a espada, os infligindo ao público e ao Sr. Depp” e “Chegamos ao início do fim da farsa de abuso da Sra. Heard contra Johnny Depp”.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!