Conforme divulgado pelo Olhar Digital, a Rússia lançou uma missão robótica de carga para a Estação Espacial Internacional (ISS) nesta sexta-feira (3). A cápsula não tripulada Progress 81 (81P) decolou do Cosmódromo de Baikonur, no Cazaquistão, no topo de um foguete Soyuz, às 6h32 da manhã (pelo horário de Brasília), exatamente conforme previsto.

“Foi um lançamento perfeito”, disse a porta-voz da NASA Sandra Jones, diretamente do centro de controle de missões, em Houston, durante a transmissão ao vivo desta que foi a primeira missão de reabastecimento feita pela Rússia ao laboratório em órbita desde que o país invadiu a Ucrânia, há mais de 100 dias. 

publicidade

A espaçonave orbitou a Terra duas vezes a caminho da estação espacial, antes de acoplar-se na extremidade sul do módulo russo Zvezda, por volta das 10h da manhã, para entregar cerca de três toneladas de alimentos, propelentes e equipamentos para os sete moradores atuais da ISS, membros da Expedição 67. 

Cápsula Progress 81 se aproximando da Estação Espacial Internacional (ISS). Imagem: NASA TV

Muitas das parcerias espaciais russas foram desfeitas na esteira da invasão contínua da Ucrânia. Os foguetes Soyuz não são mais lançados do espaçoporto europeu na Guiana Francesa, por exemplo, e a Rússia parou de vender motores de foguetes para empresas americanas. 

No entanto, embora o chefe da agência espacial russa, Dmitry Rogozin tenha ameaçado repetidamente deixar o programa, o país continua como parte integrante da ISS, como comprova o lançamento da missão Progress 81. Além de servir para transporte de carga, as espaçonaves Progress também exercem a função de impulsionar regularmente a estação, para evitar que ela perca altitude em órbita baixa da Terra. 

Leia mais:

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!