Segurança e Privacidade

Boa gestão de TI é essencial para evitar ataques a telas digitais, diz especialista

24/06/22 19h27
Imagem no aeroporto de Bangcoc mostra erro de configuração em telas digitais

Minseok Kwak/Unsplash/CC

No fim de maio, um painel na área de embarque do aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro, sofreu um ataque virtual e, em vez de anúncios publicitários, exibiu imagens pornográficas. A Infraero acionou a PF (Polícia Federal) para investigações e notificou a empresa responsável pela gestão das telas digitais, mas o caso (veja abaixo) acabou ganhando notoriedade nas redes sociais.

Segundo Igor Vazzoler, CEO da Progic, empresa de tecnologia para sinalização digital com mais de 5 mil telas em operação no Brasil, a invasão de painéis públicos ocorre em função de má configuração de softwares. Ele cita a importância das empresas terem atenção redobrada à governança de TI (tecnologia da informação) para evitar ataques do tipo.

“A principal vulnerabilidade dos sistemas sempre foi e continuará sendo o usuário”, explica Vazzoler, em nota. “É preciso se atentar à gestão de credenciais e ao uso de metodologias de autenticação seguras, como duplo fator de autenticação, autenticação federada, senhas fortes, entre outros.”

Além disso, Vazzoler fala sobre a necessidade de uso de equipamentos profissionais que funcionem de forma autônoma para gerir telas digitais. “Eles funcionam com memória de sistema operacional read-only, ou seja, imutáveis, e não possuem entradas de controle, como USB para mouse e teclado. Além disso, deve-se utilizar uma rede exclusiva de internet para a conexão com as TVs”, disse o especialista, que atua há mais de 15 anos no mercado.

Leia mais:

Falhas mais frequentes

As falhas que mais acarretam invasões, segundo Vazzoler, envolvem o uso de computadores convencionais para a reprodução do conteúdo — dispositivos inapropriados para uso de telas digitais. Máquinas deste tipo possuem entradas físicas, como mouse e teclado, e acabam representando grande risco para a segurança da informação do sistema.

A utilização de softwares de acesso remoto, como o TeamViewer e o LogMeIn, também facilitam invasões. Embora tenham criptografia de ponta a ponta, nem sempre esses programas são executados de forma protegida. “Qualquer problema que afeta a disponibilidade, a integridade e a confidencialidade dos conteúdos veiculados são considerados como falhas de segurança de informação”, pontua.

Crédito da imagem principal: Minseok Kwak/Unsplash/CC

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Deixe sua opinião
Tags