Segurança e Privacidade

Homem perde pendrive USB com dados de cidade inteira no Japão

27/06/22 16h23
Imagem de cartão USB para nota sobre dados perdidos em cidade do Japão

Little Elephant/Shutterstock

Um homem perdeu na última semana um cartão de memória USB (pendrive) com os dados pessoais dos 460 mil moradores de Amagasaki, cidade no oeste do Japão. Segundo informações do jornal Asahi Shimbun, ele era funcionário de uma empreiteira contratada pela prefeitura para gerir verbas de subsídio social à Covid-19.

O episódio se deu após uma noite de embriaguez. Segundo autoridades de Amagasaki, o homem — cujo nome não foi revelado — havia recolhido o pendrive na sede da prefeitura para transferir os dados para um call center.

Após passar a noite de terça-feira (21) bebendo em um restaurante, no entanto, ele percebeu, a caminho de casa, que havia perdido a bolsa com o dispositivo. Na manhã seguinte, relatou à polícia a perda.

Segundo o Asahi Shimbun, o pendrive incluía informações sensíveis como nome, endereço, data de nascimento e números de conta bancária dos habitantes que recebem auxílio escolar e de assistência social. Todas as informações eram criptografadas e protegidas por senha, então não houve relatos de vazamentos de dados, de acordo com a publicação.

Em comunicado, a prefeitura de Amagasaki lamentou “profundamente” o ocorrido e afirmou que “garantirá o gerenciamento da segurança com dados eletrônicos”. “Trabalharemos para recuperar a confiança de nossos moradores, aumentando a conscientização sobre a importância de proteger as informações pessoais”, diz a nota.

Leia mais:

Insegurança digital no Japão

Esta é a segunda vez em 2022 que o Japão sofre um incidente relativo a perda de dados. Em maio, um homem na cidade de Abu, sul do país, recebeu por engano 46,3 milhões de ienes — o correspondente a R$ 1,8 milhão — destinados a famílias de baixa renda em função da pandemia de Covid-19.

Segundo informações da imprensa, as autoridades locais disseram nesta semana que conseguiram recuperar o dinheiro emitido em agências de pagamento online. Isso porque o homem havia gastado o montante inteiro em sites de apostas — e jogos de azar são proibidos no Japão.

Outro episódio aconteceu durante o anúncio do fim do Internet Explorer. Segundo o Nikkei Asia, dezenas de empresas e órgãos públicos tiveram que migrar do navegador às pressas para não perder dados e deixar os usuários de internet vulneráveis a bugs e hackers.

Crédito da imagem principal: Little Elephant/Shutterstock

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Deixe sua opinião
Tags