Um juiz federal dos Estados Unidos rejeitou na terça-feira (28) uma tentativa de derrubar as acusações contra um ex-funcionário da Uber denunciado por encobrir um ataque virtual. Para o magistrado, o ex-chefe de segurança da Uber, Joe Sullivan, deve enfrentar acusações de fraude eletrônica pelo golpe que expôs cerca de 57 milhões de dados de usuários e motoristas em 2016.

Em setembro de 2020, Sullivan — que também trabalhou para o Facebook e o PayPal — foi acusado de obstrução de justiça e detenção (ocultar o conhecimento de um crime) pela procuradoria distrital dos EUA para o norte da Califórnia. Três meses depois, uma terceira acusação (fraude eletrônica) foi acrescida ao processo, algo que foi protestado pela defesa do ex-chefe de segurança. A decisão, no entanto, foi mantida nesta semana.

publicidade

“Embora a acusação substitutiva não afirme que Sullivan fez declarações falsas a esses motoristas, ela alega que as declarações falsas feitas a outros faziam parte do esquema para defraudá-los”, diz a decisão da terça-feira (28), proferida em um tribunal de San Francisco. “Isso é suficiente para que as acusações de fraude eletrônica continuem. A moção foi negada.”

Leia mais:

Sullivan pagou hackers para encobrir golpe

Os promotores do caso acusam Sullivan de pagar aos hackers US$ 100 mil em bitcoins para encobrir o golpe no Uber. Além disso, o ex-diretor de segurança é acusado de obrigar os cibercriminosos a assinar acordos de confidencialidade em que afirmavam falsamente que não tinham roubado dados.

Em novembro de 2017, Sullivan e Craig Clark, advogado sênior da Uber, foram demitidos por encobrir o golpe, mas a empresa só expôs publicamente o caso no ano seguinte. À época, a Uber pagou US$ 148 milhões em indenizações para liquidar reivindicações dos 50 estados norte-americanos e de Washington (distrito federal) de que havia demorado demais para revelar o problema.

Segundo especialistas, este é o primeiro executivo de segurança a ser denunciado criminalmente por esconder um ataque hacker.

Crédito da imagem principal: David Tran Photo/Shutterstock

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!