Os cometas intrigam a humanidade há milênios, mas com o Telescópio Espacial James Webb iniciando as operações científicas este mês, os cientistas esperam desvendar segredos sobre esses objetos gelados.

Em um estudo liderado por Heidi Hammel, vice-presidente executiva da Associação de Universidades para Pesquisa em Astronomia e cientista interdisciplinar do Webb, os poderosos instrumentos infravermelhos do observatório serão treinados em três cometas do sistema solar. O objetivo será analisar a composição química dos astros. Como eles são alguns dos corpos mais primitivos da nossa galáxia, essa informação pode revelar pistas sobre o início da vida no espaço.

publicidade

“Queremos estudar cometas com Webb por causa das capacidades muito poderosas do telescópio no infravermelho próximo e médio”, disse Hammel em comunicado. “O que torna esses comprimentos de onda de luz particularmente poderosos para estudos de cometas é que eles nos permitem estudar a composição química dessa poeira e gás que sai do núcleo do cometa e descobrir o que é.”

A equipe de Hammel observará três cometas, cada um de uma família diferente. O primeiro será um de Júpiter – potencialmente o Cometa Borrelly, cuja órbita é afetada pela gravidade do gigante gasoso. O segundo será um cometa do cinturão principal – provavelmente o Comet Read.

Leia mais:

O terceiro será o que é chamado de “cometa alvo de oportunidade”, ou seja, um que ainda não foi descoberto. Os pesquisadores esperam que este terceiro seja detectado por Webb antes do início deste estudo e que pertença a uma família de astros diferente dos outros dois alvos. Em um cenário possível, a equipe seria capaz de estudar um cometa da Nuvem de Oort que pode ter se originado nos arredores do sistema solar.

“Um dos pontos fortes do Webb é sua capacidade de detectar objetos fracos, e isso o torna uma ótima ferramenta para estudar esses intrusos interestelares muito raros”, disse Hammel. “Se pudéssemos coletar informações de composição sobre sua superfície, isso poderia abrir um novo campo de estudo.”

O estudo faz parte do Ciclo 1 do programa Observações em Tempo Garantido, que ocorrerá durante o primeiro ano de operação do James Webb.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!