Desde a última semana, uma “chuva” de peixes – anchovas, especificamente – vem causando estranheza nos cidadãos de São Francisco, Califórnia, nos EUA. E quando falamos em “chuva”, nos referimos ao sentido literal: são peixes que estão caindo do céu, uma área que você provavelmente vai reconhecer como “não onde peixes moram”.

Depois de algumas consultas e pesquisas, biólogos da metrópole americana acreditam ter chegado a uma resposta: aparentemente, as anchovas tiveram um surto de reprodução, gerando o que especialistas chamaram de “o segundo maior surto mensal que já vimos”. Sabe quem gostou disso? Os pássaros.

publicidade

Leia também

Um pássaro capturando um peixe para sua próxima refeição: surto de anchovas na região de São Francisco, nos EUA, gerou uma "chuva de peixes" graças a pássaros que largam suas presas em pleno voo
Um pássaro capturando um peixe para sua próxima refeição: surto de anchovas na região de São Francisco, nos EUA, gerou uma “chuva de peixes” graças a pássaros que largam suas presas em pleno voo (Imagem: Jon Osumi/Shutterstock)

Pássaros litorâneos, como gaivotas e mandriões, comumente caçam suas presas no mar, levando-as à terra firme para comê-las ou oferecê-las a filhotes. Só que, assim como você naquele restaurante que simplesmente tem coisas demais no cardápio, os pássaros não sabem o que fazer com tamanha oferta.

Resultado: eles estão pescando as anchovas, mas largando-as lá de cima em pleno voo. Ou seja: chuva de peixes.

A informação foi confirmada pelo Laboratório de Geoquímica e Ecologia de Peixes e Otólitos, ligado ao Departamento de Biologia de Conservação de Animais, Peixes e Vida Selvagem da Universidade da Califórnia-Davis, que alertou a comunidade sobre o surto de anchovas.

De novo: está chovendo anchovas. A um grau tão intenso que o fórum online Reddit tem uma discussão inteira sobre, se um cidadão sãofranciscano decidir se aventurar na rua, que proteja a cabeça. Não, o Olhar Digital não está exagerando. Segundo um morador entrevistado pela emissora de televisão local, ele “de repente ouviu um som parecido com ‘swoosh’, seguido do som de algo batendo no chão com força”, enquanto outro quase foi “atingido por um peixe enquanto esperava o ônibus”.

Swoosh”, três vezes, aparentemente (Imagem: Ju Jae-young/Shutterstock)

“Da Baía de HalfMoon até Point Reyes, as pessoas me contam que nunca viram tanta isca assim. Eu ouvi histórias na última semana de pessoas que afirmam que a água estava coberta com milhares de pássaros, que estavam apenas sentados com anchovas nas bocas simplesmente porque comeram demais”, disse Larry Collins, presidente da Associação Comunitária de Pesca de São Francisco.

“As temperaturas atuais parecem mais frias que o normal, e isso trouxe bastante comida para animais como anchovas, pássaros que se aventuram no mar e mamíferos marinhos”, disse Adam Ratner, diretor associado da ONG de conservação Marine Mammal Center, em Sausalito, ao jornal regional San Francisco Gate. “Não está claro até quando esse surto de águas frias vai durar, e sabemos que, devido ao aquecimento global, águas mais quentes serão a norma, mas ao menos por enquanto, isso parece estar oferecendo um suporte extra às comunidades pesqueiras, baleias em fase de migração e até leões marinhos”.

Já imaginou uma chuva de peixes no Brasil? Com os animais “pequeninos” que as águas da Amazônia nos dão, temos sorte de não encararmos uma “precipitação de tucunarés”.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!