Veículos e Tecnologia

Iate terrestre quer “navegar no solo” a mais de 202 km/h para bater recorde de velocidade

Por Ronnie Mancuzo, editado por Acsa Gomes
05/07/22 08h46, atualizada em 06/07/22 17h18
O vídeo está sendo carregado - aguarde...

A equipe de vela neozelandesa Emirates Team New Zealand (ETNZ) está trabalhando em um iate terrestre chamado Horonuku, capaz de bater o recorde atual de velocidade eólica em terra. Como piloto na tarefa, estará Glenn Ashby, vencedor de três Copas América, uma medalha de prata olímpica e 17 campeonatos mundiais em várias classes de barco.

O marinheiro australiano de 44 anos de idade e a equipe terão que cumprir com diversos critérios estabelecidos pelos órgãos dirigentes North American Land Sailing Association (NALSA) e International Land and Sand Yachting Federation (FISLY). Dentre eles, alcançar uma velocidade de pelo menos 1,6 km/h acima dos 202,9 km/h por três segundos com o iate terrestre – para bater o recorde atual, registrado há mais de uma década pelo Greenbird, de Richard Jenkins.

Leia também

“Portanto, a meta mínima a ser excedida para uma corrida do Recorde Mundial é de fato 204,5 km/h para Glenn Ashby no Horonuku se tornar a embarcação movida a vento mais rápida em terra”, aponta a equipe neozelandesa. A ETNZ projetou e construiu o iate terrestre em suas instalações na costa norte de Auckland, na Nova Zelândia.

Um iate no solo se movendo com o vento

Conforme os trabalhos realizados no veículo, Ashby vai conduzir o iate terrestre a partir de uma operação com dois dedos em uma alavanca. Também há algumas bombas de pedal e alguns pequenos ajustes de direção na configuração do Horonuku. O local escolhido para a tentativa de novo recorde de velocidade eólica é o Lago Gairdner, localizado ao sul da Austrália.

Este lago salgado natural fornece a superfície plana necessária – os regulamentos declaram que o percurso deve estar dentro de 1 metro de elevação. A equipe usará um sistema de GPS, além de um sistema de cronometragem e rastreamento, com um juiz oficial supervisionando o equipamento.

Também é proibido que o veículo use qualquer energia armazenada – ele deve depender inteiramente de um acionamento direto. O Horonuku agora está se preparando para testes em terra no Lago Gairdner, com planos de tentar o recorde mundial em agosto.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!

Deixe sua opinião
Tags