O governo da China autorizou o uso de um coquetel de anticorpos da AstraZeneca para prevenção da Covid-19 em uma cidade localizada ao sul do país. Essa permissão está limitada a uma zona de turismo na província de Hainan e foi dada antes da aprovação nacional, conforme traz a agência Reuters.

A ação tem como base promover políticas públicas preferenciais de serviços médicos a visitantes nacionais e estrangeiros da zona especial da cidade de Qionghai, permitindo o uso antecipado de novos produtos. Aprovado pela Food and Drug Administration (FDA), dos Estados Unidos, o medicamento Evusheld será importado no valor de 21,98 milhões de yuans (cerca de R$ 17,7 milhões) em um primeiro lote.

publicidade

Leia também:

Ajudando pessoas com sistema imunológico mais fraco

Este medicamento também foi autorizado em outras regiões, como Reino Unido e União Europeia. Seu uso está vinculado à prevenção de infecções em pessoas cujo sistema imunológico é muito fraco para responder às vacinas. Sua administração é realizada em duas injeções, prevenindo a infecção por coronavírus por até seis meses e tendo poucos efeitos colaterais, que costumam ser leves.

A droga será usada em vários testes em hospitais da Zona Piloto de Turismo Médico Internacional de Boao Lecheng, estabelecida em 2013. Há também outros produtos ocidentais que poderão ser liberados para uso na China e que também estão disponíveis na zona piloto. Dentre eles, o medicamento para câncer de mama Piqray, da Novartis, e o medicamento para infecção fúngica AmBisome, da Gilead.

O projeto em Boao Lecheng está em andamento para estabelecer um centro clínico avançado e uma base para pesquisa e desenvolvimento, bem como a aplicação de tecnologias médicas de última geração. Até 2030, a zona piloto se tornará um centro global de turismo médico com uma plataforma inovadora para ciência e tecnologia médica.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!

Imagem: Ihor Sulyatytskyy/Shutterstock