“Woohoo! Nós não vamos morrer!”, exclamou um dos passageiros da missão NS-22, da Blue Origin, durante transmissão ao vivo realizada ontem (5). Este foi o sexto voo de turismo espacial tripulado da empresa de Jeff Bezos

O veículo New Shepard da Blue Origin transportou seis passageiros em um voo de aproximadamente 10 minutos que incluiu vários minutos no espaço suborbital. Mesmo aqueles breves momentos foram suficientes para mudar a vida dos passageiros para sempre. 

publicidade

“Foi melhor do que qualquer coisa que eu possa colocar em palavras. Para ser honesta, eu não esperava que fosse ser tão emocionante”, disse a engenheira mecânica e biomédica Sara Sabry, a primeira pessoa do Egito a chegar ao espaço. Sabry também é fundadora da Deep Space Initiative (DSI), uma organização sem fins lucrativos que visa aumentar a acessibilidade para pesquisas espaciais. 

“Eu não conseguia parar de chorar. Foi simplesmente lindo”, acrescentou Sabry. “E a sensação mais forte é que eu acho que todos na Terra precisam experimentar isso. Cada pessoa precisa ver isso, porque todos deveriam poder ver isso.” 

O empresário e investidor Mário Ferreira, o primeiro português a chegar ao espaço, disse estar “muito surpreendido” com a altitude que a cápsula New Shepard conseguiu atingir. Ferreira acrescentou que foi “uma experiência incrível, e valeu a pena esperar 18 anos por ela, como tenho esperado”. 

Blue Origin

O pioneiro da tecnologia Clint Kelly III, creditado por iniciar o desenvolvimento dos carros autônomos modernos, disse que a experiência o fez pensar na história da exploração humana. 

“Fiquei impressionado como todo mundo”, disse Kelly. “A transição do azul para o roxo e depois para o preto. E quando isso ocorreu, percebi que estava em um novo lugar. Então, eu estava na porta de entrada para a nova fronteira. Isso deve ter sido equivalente à sensação que alguns de meus ancestrais sentiram no século XVIII, quando eles estavam nas Montanhas Apalaches, olhando para a nova fronteira, que se tornou o estado de Kentucky.”

Leia mais:

Para a autora e exploradora Vanessa O’Brien, a experiência a fez refletir sobre como a humanidade está entrando em uma nova fase de exploração graças a fornecedores de lançamentos espaciais comerciais como a Blue Origin. “Se você quisesse ir ao espaço anteriormente, teria que se preparar por décadas; talvez tivesse que ingressas nas forças armadas ou entrar de uma maneira diferente. Mas com a indústria espacial privada, milhões de pessoas poderão viver e trabalhar no espaço”. 

A missão NS-22 também foi simbólica para vários passageiros a bordo da cápsula New Shepard. Para Sabry, o breve voo espacial representou um momento histórico para sua nação. “Eu parei por um momento e, olhando pela janela, pensei que estava trazendo todo o Egito comigo.” 

“Eu sabia que muitos egípcios estavam assistindo no momento, e eu pensava ‘ok, então agora vamos para o espaço… pela primeira vez na história”, acrescentou Sabry. 

Para O’Brien, que carregou a bandeira feminina das Nações Unidas com ela para o espaço, o voo serviu como um símbolo para o avanço da igualdade de gênero em todo o mundo. “Esta bandeira da ONU Mulheres representa mulheres em todo o mundo, independentemente de nacionalidade, raça, religião, e isso é para qualquer mulher que queira avançar com garra. E esse é o lema da Blue Origin. Então a ONU Mulheres também apoia isso. Tenho muito orgulho de ter essa bandeira comigo hoje.” 

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!