Um dos maiores assuntos do universo gamer deste ano – talvez o maior – é o processo de aquisição da Activision Blizzard pela Microsoft por US$ 70 bilhões (cerca de RS 365 milhões). Uma das consequências da compra foi a rivalidade da Sony com a Microsoft esquentando e trazendo capítulos à parte.

Enquanto a Sony estaria preocupada com grandes jogos da Activision Blizzard no Xbox Game Pass, chegando a alegar que “Call of Duty” é um jogo que “influencia a escolha do console pelos usuários”, a Microsoft aguarda a checagem das autoridades reguladores pelo mundo para completar a sua aquisição.

publicidade
Imagem: Reprodução/Sony/Microsoft
Imagem: Reprodução/Sony/Microsoft

Nesse contexto, a novela ganhou um capítulo apoteótico: de acordo com a Microsoft, a Sony vem pagando estúdios para impedir que alguns jogos chegassem ao Game Pass. A acusação da empresa do Xbox veio em documento enviado ao CADE (Conselho Administrativo de Defesa Econômica), conselho regulatório do Brasil.

“A capacidade da Microsoft de continuar expandindo o Game Pass tem sido obstruída pelo desejo da Sony de inibir tal crescimento. A Sony paga por ‘direitos de bloqueio’ para impedir que desenvolvedores adicionem conteúdo ao Game Pass e outros serviços de assinatura concorrentes”, alega a companhia do Xbox.

publicidade

A acusação da Microsoft colocou mais lenha na fogueira em sua rivalidade com a Sony. Nas redes sociais, o caso repercutiu bastante entre os fãs de videogame, com muitos usuários comentando sobre o assunto no Twitter.

Apesar disso, a Microsoft não especificou sobre quais jogos ou desenvolvedores estariam sendo pagos pela Sony pelos “direitos de bloqueio”. No entanto, algumas especulações nos últimos dias indicaram que um desses jogos é o recém-lançado “Cult of the Lamb”.

publicidade

Desenvolvido pela Massive Monster e publicado pela Devolver Digital, “Cult of the Lamb” fez um grande sucesso na sua primeira semana de lançamento, alcançando a marca de 1 milhão de jogadores até o momento. Naturalmente, o jogo também estaria envolvido na rivalidade dos consoles, com o tópico “direitos de bloqueio” entrando em ação. Segundo Gary Whitta, do podcast Kinda Funny, a Sony pagou para que “Cult of the Lamb” não chegasse para o Game Pass.

O boato ganhou força e o site The Gamer questionou a Devolver Digital sobre a situação. Entretanto, na declaração para o portal, o estúdio tratou de desmentir os rumores e afirmou que “de forma alguma isso é verdade”. Mais um capítulo para a novela e mais uma sessão de comentários aberta.

publicidade

Leia mais:

Nesta sexta-feira, 19, foi confirmado que “Death Stranding” chegará ao Game Pass e segundo alguns “sonystas”, a adição do jogo de Hideo Kojima ao serviço de assinatura do Xbox seria um indicativo de que o famoso “direito de bloqueio” da Sony é uma informação falsa. Contudo, é válido ressaltar que o título continua sendo exclusivo para os consoles PlayStation, já que o game só estará disponível para o PC Game Pass.

Enquanto isso, os debates vão ocorrendo e de acordo com a Microsoft, a aquisição da Activision Blizzard só deve ocorrer em 2023. Até lá, rumores envolvendo as empresas e discussões sobre os “direitos de bloqueio” devem estimular ainda mais a rivalidade com a Sony.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!