A crença de que as baratas seriam os únicos animais capazes de sobreviver a uma guerra nuclear atravessou gerações. Agora, depois de se debruçar sobre esse tema, a ciência descobriu que essa história não passava de um mito.

Apesar de as baratas serem, de fato, resistentes, elas não seriam as únicas capazes de sobreviver a um evento de destruição em massa. Em entrevista à Newsweek, o pesquisador de entomologia do Museu de História Natural de Londres, Paul Eggleton, disse que todas as leituras feitas no sentido de descobrir se esses insetos sobreviveriam a uma guerra nuclear resultam em um “mito urbano, com um pouco de verdade”.

publicidade

Leia mais:

Eggleton faz essa afirmação porque as baratas realmente são menos afetadas pela radiotatividade do que os mamíferos. Entretanto, essa não é uma particularidade delas, e sim de todos os insetos. “Com ciclos celulares mais lentos, esse tipo de bicho tem células que se dividem com menos frequência, fator que as torna menos propensas a alterações causadas pela radiação”, pontuou o pesquisador.

publicidade
Mão humana segurando uma barata com uma casa ao fundo.
Imagem: MR.RAWIN TANPIN/Shutterstock

Além disso, não faltaria comida para os insetos, afinal de contas, muitos animais estariam mortos, um prato cheio para os que sobreviveram. Eggleton ressalta que, diante desse cenário, “para esses bichos o mundo continuaria, biologicamente, da mesma forma”. O que corrobora com a tese de que as baratas poderiam até sobreviver a uma guerra nuclear, mas não seriam as únicas nessa empreitada.

Espécie de barata estava ameaçada de extinção

Outro especialista consultado pela Newsweek, Timothy Mousseau, que atua no campo de ecologia alegou que “os organismos protegidos do peso da radiação, por viverem no subsolo ou no fundo dos oceanos, sairiam melhor em um evento cataclísmico”.

publicidade

Um relatório produzido pelo professor de ecologia e evolução Mark Elgar, mostrou que recentemente uma espécie de barata foi redescoberta na Ilha Lord Howe. Essa espécie, que estava ameaçada de extinção, mostra que nem todas as baratas são iguais, pois podem perecer em determinadas ocasiões. Em circunstâncias apocalípticas é difícil determinar quais espécies de baratas sobreviveriam.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!