Após quatro anos à frente da DC Films, como o presidente da divisão de cinema da DC, Walter Hamada deixou seu cargo.

De acordo com a revista Deadline, o executivo está apenas esperando que o alto escalão da Warner Bros. Discovery finalize seu pagamento de saída para deixar a companhia de uma vez por todas. Hamada trabalhou 15 anos na Warner Bros., e quatro como presidente da DC Films.

publicidade

Ele havia renovado seu vínculo com a DC Films em janeiro de 2021, com um contrato que deveria ligá-lo à companhia até o fim de 2023.

Isto ocorre enquanto “Adão Negro”, filme que Hamada supervisionou e assina como produtor executivo, tem projeção de abertura nas bilheterias de US$ 135 milhões de bilheteria neste fim de semana (o Olhar Digital já assistiu ao filme – confira a nossa crítica aqui).

publicidade

A saída de Hamada da DC já era esperada há algum tempo, e o executivo já teria empacotado tudo em seu escritório, e não participou de reuniões criativas recentes. Desde a fusão com a Discovery, Hamada já é o quinto do estúdio de cinema da Warner Bros. a sair desde que David Zaslav assumiu as rédeas da recém-fundida Warner Bros Discovery.

Ele segue o presidente do Warner Bros. Motion Picture Group, Toby Emmerich, a presidente de produção e desenvolvimento Courtenay Valenti, a COO do Motion Picture Group Carolyn Blackwood e a vice-presidente executiva do grupo de animação Allison Abbate.

publicidade

Conforme informações do Deadline, Walter Hamada já sabia que seus dias estavam contados como presidente da DC Films, e que esta partida aconteceria mesmo antes de conhecer David Zaslav. O CEO da Warner Bros. Discovery já foi transparente inúmeras vezes sobre seu desejo de trazer um executivo no estilo de Kevin Feige (presidente da Marvel Studios) para liderar a DC.

Recentemente, Zaslav cortejou para o cargo o ex-executivo de desenvolvimento da Warner e produtor de “Uma Aventura LEGO”, Dan Lin, e a ex-chefe da Fox Emma Watts há muito tempo aparece como uma possível chefe.

publicidade

Apesar de ser visto como um executivo discreto, que não tem grandes habilidades de convencer talentos, Hamada merece créditos por algumas questões. Por exemplo, ele criou o crossover entre os filmes da DC e o serviço de streaming HBO Max, que resultou em séries spin-off como “Pacificador”, de James Gunn, e a série sobre a personagem de Viola Davis, Amanda Waller, ambas derivadas de “O Esquadrão Suicida”, e também a série do Pinguim de Colin Farrell, de Matt Reeves, que deriva de “Batman”.

E por falar em “Batman”, Hamada conduziu o filme protagonizado por Robert Pattinson em filmagens durante a pandemia da covid-19, e o reboot arrecadou US$ 771 milhões de bilheteria em todo o mundo. Além do valor arrecadado ser bastante sólido, o filme foi muito assistido na HBO Max, após a janela de 45 dias de exibição exclusiva nos cinemas. Agora, uma sequência está em desenvolvimento.

Hamada também tem trabalhos como produtor executivo, e esteve envolvido em dois dos filmes de maior bilheteria da DC: “Aquaman” de James Wan, que arrecadou US$ 1,1 bilhão, e “Coringa”, que venceu dois Oscars e se tornou o filme para maiores de 18 anos de maior bilheteria da história, com US$ 1,07 bilhão.

Apesar destes méritos, Zaslav já estava convencido de que faria a mudança, e quer um Feige para a DC. Muitos acham que Zaslav já tem talvez a coisa mais próxima de um Kevin Feige no executivo Michael De Luca que, ao lado da executiva Pam Abdy, está supervisionando a DC até que Zaslav faça uma contratação permanente.

De Luca recentemente montou um novo “Constantine” com Keanu Reeves e o diretor Francis Lawrence, por exemplo. Mas Zaslav parece estar mesmo em busca de um talento externo.

Leia mais:

A Warner Bros. teria oferecido um acordo como produtor para Hamada, mas o executivo recusou a proposta. Segundo o Deadline, ele se preparou para a saída quando a Warner Bros. Discovery engavetou o filme “Batgirl”, que já estava em fase de pós-produção.

Depois desta situação, De Luca e Abdy tiveram que persuadir Hamada a permanecer como presidente da DC Films, pelo menos até supervisionar “Adão Negro”, que estreia esta semana.

Walter Hamada deve ter facilidade para se encaixar na indústria cinematográfica, como produtor ou executivo. Além de estabilizar a disfuncional DC quando retornou à Warner Bros. em 2018, ele teve uma boa passagem pela New Line Cinema, onde supervisionou a produção diversos sucessos como “Invocação do Mal”, “Annabelle” e “It – A Coisa”, que arrecadou mais de US$ 700 milhões em bilheteria, com um orçamento de US$ 35 milhões.

“Adão Negro” chega aos cinemas brasileiros nesta quinta-feira (20).

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!