O Mauna Loa, maior vulcão ativo do mundo, entrou em erupção no último domingo (27) no Havaí. Ao mesmo tempo, dezenas de terremotos também atingiram o estado americano. Os tremores começaram após as erupções e um deles chegou a atingir a magnitude de 4,2.

O vulcão que possui 4.169 metros de altitude estava em dormência desde 1984. Desde 1843, quando suas erupções passaram a ser bem documentadas, essa foi a trigésima terceira vez que ele voltou a ficar ativo, sendo o maior período entre uma e outra atividade.

publicidade

Os vulcões são formados a partir da movimentação de placas tectônicas que estão sobre o manto da Terra. O movimento de convergência geralmente é responsável pela formação de ilhas vulcânicas nos pontos de colisão, enquanto o afastamento das placas origina as atividades vulcânicas submarinas.

No caso do Havaí é diferente, lá eles surgem a partir de hotspots, ponto de altas temperaturas no interior da placa, onde existe a possibilidade de ascensão de magma. 

publicidade

Leia mais:

Como as erupções e os terremotos se conectam

Entretanto, todos eles estão relacionados com terremotos que podem ser formados tanto pela movimentação das placas tectônicas quanto pelo alívio de pressão das atividades vulcânicas. A recente erupção no Havaí já era prevista pelos geólogos. Eles observaram que o número de tremores por dia havia aumentado desde o meio do ano. Em junho eram registrados de 5 a 10 terremotos diários e em outubro esse número já chegava a 40.

publicidade

Apesar disso, as erupções e o fluxo de lava ainda não apresentam riscos à população que vive nas encostas do vulcão. O perigo está nas cinzas e nos cabelos de pele, fios finos afiados de vidro formados a partir do resfriamento de lava que são expelidos.

O Serviço Geológico dos EUA (USGS) está observado as explosões através de voos de reconhecimento para avaliar as explosões. Ele também emitiu um alerta para que as pessoas fiquem atentas, já que a situação do fluxo de magma pode mudar repentinamente, baseado em eventos passados.

publicidade

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!