A SpaceX, empresa de Elon Musk, foi autorizada pela Comissão Federal de Comunicações dos EUA (FCC), nesta quinta-feira (1), a enviar até 7.500 satélites para a órbita baixa da Terra. A Starlink, serviço de internet via satélite fornecido pela SpaceX, já conta com mais de 3.500 dispositivos que circundam a Terra.

A companhia, que tem dezenas de milhares de clientes somente nos EUA, cobra aproximadamente 599 dólares por um terminal e 110 dólares por mês pela conexão banda larga. Brasileiros que quiserem contratar os serviços da Starlink também podem, o Olhar Digital já fez uma matéria em que explica como conseguir.

publicidade

Leia mais:

Em 2018, a FCC já havia aprovado os planos da empresa de lançar até 4.425 satélites de primeira geração. Porém, a ambiciosa SpaceX trabalha para obter aprovação de operar uma rede com cerca de 29.988 satélites, conhecidos como “segunda geração” ou “Gen2”.]

publicidade

SpaceX de Elon Musk vai ampliar frota de satélites

De acordo com a Reuters, a FCC declarou que “nossa ação permitirá à SpaceX iniciar a implantação do Gen2 Starlink, que trará banda larga via satélite de próxima geração para os americanos em todo o país”. Além disso, a agência também declarou que “permitirá o serviço mundial de banda larga via satélite, ajudando a reduzir a falta de acesso à internet em uma escala global”.

satelite-orbita-terra
Imagem: Satélite da Starlink, associada à SpaceX, na órbita da Terra. Créditos: Aleksandr Kukharskiy/Shutterstock

Outro ponto que FCC ressaltou foi que sua decisão, em relação ao lançamento de satélites da SpaceX, “irá proteger outros operadores de satélites e terrestres de interferência e manterá um ambiente espacial seguro”, protegendo “espectro e recursos orbitais para uso futuro”.

publicidade

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!