No fim de todos os anos, desde 2003, o astrônomo amador Antônio Rosa Campos lança o Almanaque Astronômico Brasileiro, que reúne um calendário com todos os eventos astronômicos previstos para o ano seguinte. O material é publicado sempre no dia 2 de dezembro, Dia Nacional da Astronomia.

Capa do Almanaque Astronômico Brasileiro 2023. Créditos: Antônio Rosa Campos

Nesta edição do 20º ano de circulação contínua da publicação, a capa conta com uma imagem magnífica de M104 (A galáxia do Sombreiro), obtida pelo Observatório Europeu do Sul (ESO), no Chile. Trata-se de uma galáxia espiral com um núcleo brilhante envolto em um disco achatado de material escuro de magnitude visual aparente de 8.0, que fica a 30 milhões de anos-luz de distância da Terra. 

publicidade

Mas, como surgiu a ideia de criar este anuário cósmico? Como essas informações são reunidas e catalogadas? Para responder a essas e outras perguntas, Campos estará no programa Olhar Espacial desta sexta-feira (9), trazendo também os maiores destaques celestes de 2023. Imperdível, não é mesmo?

O astrônomo amador Antônio Rosa Campos é o convidado desta sexta-feira (9) do programa Olhar Espacial. Créditos: Arquivo pessoal

“Desejo sempre que essa publicação seja uma útil ferramenta para todos aqueles amigos e amigas que fazem da astronomia uma festa e uma inspiração constante. Peço ainda que disseminem essas efemérides no âmbito de suas respectivas associações, clubes, grupos, núcleos, observatórios e planetários; endereços certeiros em que a ciência astronômica e sua prática observacional são uma constante”, diz o organizador do Almanaque Astronômico Brasileiro (que você pode acessar neste link).

publicidade

Campos é militar da Reserva da Força Aérea Brasileira (FAB) e astrônomo amador há 40 anos, com curso superior em Complementação de Estudos em Astronomia pela Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP). Dedica-se atualmente à disseminação da Astronomia e Ciências Afins por meio de palestras e pela coordenação e publicação de artigos no blog Sky and Observers.

Ele é associado ao Centro de Estudos Astronômicos de Minas Gerais (CEAMIG), à Rede de Astronomia Observacional/Brasil (REA) e à organização internacional Astronomers Without Borders (AWB), além de ser coordenador do Grupo de Reconhecimento e Estudos do Céu (GREC), cujos membros se dedicam ao aprendizado contínuo do reconhecimento e da observação da esfera celeste.

publicidade

Leia mais:

Apresentado por Marcelo Zurita, presidente da Associação Paraibana de Astronomia — APA; membro da SAB — Sociedade Astronômica Brasileira; diretor técnico da BRAMON — Rede Brasileira de Observação de Meteoros — e coordenador regional (Nordeste) do Asteroid Day Brasil, o programa é transmitido ao vivo, todas às sextas-feiras, às 21h, pelos canais oficiais do veículo no YouTube, Facebook, Instagram, Twitter, LinkedIn e TikTok.

publicidade

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!