Uma cratera de 30 metros de largura se formou sobre uma mina de minério de ferro em Sheregesh, na Rússia, e a mídia local descreveu o incidente como “portão para o inferno”. Diversas imagens compartilhadas no Telegram, rede social russa, mostraram os momentos de terror que assolaram a população local. É possível ver até mesmo uma casa balançando à beira da cratera.

Felizmente, não houve vítimas, pois as autoridades evacuaram a área assim que o solo ficou instável. Além disso, a administração do distrito de Tashtagol emitiu um comunicado em que informou sobre as condições das estradas e das casas: nada foi danificado, porém a estrada principal foi bloqueada e os ônibus suspensos.

Leia mais:

Em entrevista à Newsweek, o cientista Evgeny Chuvilin, do Centro de Ciência e Engenharia de Petróleo do Instituto Skolkovo de Ciência e Tecnologia, disse que “embora a cratera ondulante possa parecer dramática, não é inesperada”. O cientista declarou que que medidas de segurança adequadas já foram tomadas para minimizar os danos.

publicidade

Em contrapartida, as crateras encontradas no norte da Sibéria Ocidental, são “formações geológicas únicas” e surgiram como resultado de uma liberação explosiva de gás dos horizontes superiores do permafrost do Ártico.

cratera-portal-inferno-russia
Imagem: Cratera se abriu sobre uma mina de minério de ferro, na Rússia. Créditos: incident_kuzbass/Telegram

Chuvilin explicou que “a formação de uma cratera é precedida por um acúmulo local de gás, principalmente metano, sob pressão no permafrost.” Conforme essa pressão se acumula, o solo acima da área afetada cede. “Há uma liberação explosiva de gás com uma dispersão de fragmentos de rocha [e] gelo a uma distância de várias centenas de metros em torno da área de avanço do gás”, pontuou o cientista.

De acordo com Chuvilin, a formação dessas crateras é bem rara. Apenas 20 delas foram encontradas, desde 2014. Acredita-se que conforme o planeta aquece, a ocorrência de explosões subterrâneas aumentará. Aliada às mudanças climáticas, outro fator que contribui para esse cenário é a mineração, que torna o solo cada vez mais vulnerável para que esses “portais para o inferno” sejam abertos.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!