A Ford emitiu aviso de recall para 18 picapes F-150 Lightning com células de bateria defeituosas, que causaram o incêndio de pelo menos um caminhão. A montadora reiniciará a produção do caminhão elétrico na segunda-feira (13), com “estoque limpo” de baterias, após pausa de quatro semanas na produção e no envio para apurar a causa do defeito.

A Ford disse que a “causa raiz” do problema estava na fábrica da fornecedora de baterias sul-coreana SK On, na Geórgia. Em comunicado, a porta-voz Emma Bergg disse que a empresa não tinha conhecimento de nenhum relato de acidente ou ferimento relacionado a esse recall.

publicidade

Leia mais:

“Juntamente com o SK On, confirmamos as causas principais e implementamos ações de qualidade”, disse Bergg. “A produção está a caminho de ser retomada na segunda-feira com estoque limpo de baterias.”

publicidade

Os veículos afetados estão nas concessionárias ou nas mãos dos clientes, confirmou Bergg. A montadora está em contato próximo com a Administração Nacional de Segurança no Tráfego Rodoviário, que deve publicar o aviso de recall na próxima semana.

A Ford interrompeu abruptamente a produção de sua principal picape elétrica em 4 de fevereiro, depois que um dos caminhões pegou fogo em um estacionamento afiliado à sua fábrica em Dearborn, Michigan, e se espalhou para outros dois veículos. A SK On descreveu anteriormente o defeito como “raro” e disse estar trabalhando em correção.

publicidade

O F-150 Lightning é o mais recente EV a ser atingido por recall. A Ford emitiu anteriormente no ano passado para 49 mil SUVs Mustang Mach-E devido a preocupações de que um defeito de segurança pudesse tornar o veículo imóvel.

A BMW emitiu recall para “pequeno número” de sedãs i4 e SUVs iX 2022 devido ao risco de incêndio na bateria. O Toyota bZ4X foi recolhido quando foi descoberto que parafusos soltos do cubo poderiam fazer com que as rodas se soltassem durante a condução. Outros EVs também foram recolhidos devido a vários bugs de software e outros problemas menores.

publicidade

Incêndios de bateria, embora raros, continuam sendo séria preocupação para os fabricantes de veículos elétricos. São necessários mais dados, mas os pesquisadores determinaram que a grande maioria dos VEs apresenta baixo risco de incêndios por bateria.

Porém, quando ocorrem incêndios, os EVs com baterias de íon-lítio queimam mais, mais rapidamente e exigem mais água para extinguir – fato que levou algumas cidades a treinar novamente seus socorristas para quando tais incidentes ocorrerem.

O incidente mais grave envolveu o Chevrolet Bolt, que foi recolhido depois que a GM relatou pelo menos 19 incêndios de bateria devido a células defeituosas do fornecedor LG.

A montadora foi forçada a interromper temporariamente a produção depois que uma correção de software falhou em evitar vários outros incêndios. A Chevrolet retomou a produção no ano passado após instalar novas baterias.

Com informações de The Verge

Imagem destacada: Jonathan Weiss/Shutterstock

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!