Desde 2015, os veículos elétricos possuem isenção no imposto de importação no Brasil. Contudo, segundo a Abeifa (Associação Brasileira das Empresas Importadoras e Fabricantes de Veículos Automotores), isso deve acabar no segundo semestre.

Ainda não há decisão oficial, mas João Oliveira, presidente da entidade, foi proposto pela Abeifa ao governo a retomada escalonada do imposto de importação, variando conforma sua eficiência:

Vídeo relacionado

  • 2% para veículos elétricos a bateria (BEV);
  • 4% para veículos híbridos (HEV e PHEV);
  • 7% para veículos híbridos leves 48V (MHEV).

Leia mais:

Dessa forma, haveria aumento gradual do imposto, até atingir o teto de 20%, chamado de TEC (Tarifa Externa Comum) do Mercosul. Ou seja, um EV só a bateria chegaria ao teto em dez anos, contudo, a tarifa seria menor que a atual vigente dos veículos importados (35%).

publicidade

Defendemos a regravação gradual para o mercado e as empresas se acomodarem, enquanto cresce o interesse do consumidor brasileiro sobre estas novas tecnologias, até chegar a um ponto em que o crescimento dos volumes poderá justificar a produção local. A retomada da taxação pode estimular a produção local, mas só quando os volumes crescerem mais.

João Oliveira, presidente da Abeifa

O presidente da instituição salientou ainda que só a liberação do imposto não foi capaz de impulsionar as vendas de EVs e híbridos no Brasil, mas que a transição dos veículos a combustão para esse tipo de carro é algo natural para as montadoras, até porque, daqui a alguns anos, “não haverá carros a combustão para importar”.

No ano passado, foram mais de 49 mil veículos elétricos e híbridos emplacados no País, recorde que representou aumento de 40% ante 2021. Do total, 8,4 mil são EVs. Neste ano, espera-se que sejam vendidos cerca de 70 mil EVs.

publicidade

Com informações de InsideEVs

Produção de veículos continua abaixo do pré-pandemia

No primeiro trimestre de 2023, as montadoras produziram 538 mil carros, o que representa uma alta de 8% em relação ao mesmo período do ano passado. Os dados são de um levantamento da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotivos (Anfavea).

publicidade

Leia mais aqui.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!