Como parte de seus esforços para exploração da Lua, a China revelou que pretende construir uma base para abrigar astronautas em visita ao nosso satélite natural ainda nesta década. E, para isso, serão usados “tijolos de solo lunar”.

Segundo a agência de notícias Reuters, mais de 100 cientistas, pesquisadores e empreiteiros espaciais chineses se reuniram no último fim de semana na Conferência de Construção Extraterrestre realizada na Universidade de Ciência e Tecnologia de Huazhong, em Wuhan, na região central do país, para discutir maneiras de edificar uma infraestrutura na Lua.

publicidade
Ding Lieyun, da Universidade de Huazhong, apresentou o conceito da base lunar chinesa durante uma conferência em Wuhan. Créditos: Universidade de Huazhong

Ding Lieyun, especialista da Academia Chinesa de Engenharia (CAE), informou ao site Changjiang Daily que uma equipe está projetando um rover chamado “Chinese Super Masons” para coletar solo lunar para ser usado como matéria-prima dos “tijolos”.

Leia mais:

publicidade

“A construção de um habitat na Lua é necessária para explorações lunares de longo prazo e certamente será realizada no futuro”, disse Ding, destacando que reconhece a dificuldade de alcançar o objetivo a curto prazo.

Segundo ele, o robô será lançado pela China por meio da missão Chang’e-8, prevista para 2028. O engenheiro também revelou que, por volta de 2025, o país pretende coletar a primeira amostra de solo do lado oculto da Lua – um feito que nenhum outro país alcançou ainda, nem mesmo os EUA.

publicidade

Ainda de acordo com Ding, a China quer que seus taikonautas (designação do país para astronautas) permaneçam na Lua por longos períodos, motivo pelo qual se pretende estabelecer uma estação de pesquisa no local.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!