Um vazamento expôs os dados pessoais de 237 mil funcionários e ex-funcionários do governo dos EUA na última sexta-feira (12). Segundo a Reuters, a exposição ocorreu após uma violação no sistema de Departamento de Transportes dos Estados Unidos (USDOT).  

Resumo: 

  • A violação atingiu os sistemas de processamento de benefícios de trânsito da TRANServe, que reembolsam funcionários do governo por custos de deslocamento; 
  • A USDOT notificou o Congresso americano sobre o vazamento na sexta-feira (12); 
  • Não ficou claro se alguma informação pessoal foi usada para fins criminais e nem quem pode ser o responsável pela violação. 

Leia mais! 

À Reuters, a USDOT esclareceu que a violação não afetou nenhum sistema de segurança de transporte. O departamento também iniciou uma investigação e congelou o acesso ao sistema de benefícios de trânsito até que ele seja adequadamente protegido e restaurado. 

publicidade

Essa não é, no entanto, a primeira vez que funcionários do governo americano são atingidos por hackers. 

Duas violações no Escritório de Gestão de Pessoal dos Estados Unidos (OPM, sigla em inglês) também ocorreram em 2014 e 2015, comprometendo dados confidenciais pertencentes a mais de 22 milhões de pessoas, incluindo 4,2 milhões de colaboradores federais — na época, dados de impressão digital de 5,6 milhões de indivíduos vazaram. 

Mais recentemente, e-mails oficiais de militares dos EUA também foram expostos, este por um erro do próprio Departamento de Defesa. O conteúdo ficou disponível por duas semanas para quem tivesse apenas um navegador e o IP do servidor desprotegido — a quantidade de dados armazenada pelo servidor chegava aos 3TB de e-mails militares internos, muitos pertencentes ao Comando de Operações Especiais do país, conhecido também USSOCOM.

Veja detalhes do caso aqui

Com informações da Reuters

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!