A Covid-19 escancarou problemas de saúde pública e trouxe novos desafios para a humanidade. A emergência sanitária também deixou clara a necessidade de melhorar o enfrentamento de novas epidemias. E é justamente esse o objetivo da Escola São Paulo de Ciência Avançada em Preparação para Enfrentamento de Epidemias.

Leia mais

Evitando novas epidemias

  • Fruto de uma parceria com várias faculdades, como Unesp e Unicamp, a instituição reúne importantes pesquisadores de todo o mundo, assim como alunos estrangeiros e brasileiros.
  • “Esses alunos vão discutir como fazer pesquisa durante uma epidemia e o que é importante numa epidemia. Você não precisa só de médicos ou epidemiologistas, é necessário pessoas que conheçam várias áreas diferentes como a própria comunicação, a matemática e a física”, destaca Ester Sabino, professora do Departamento de Moléstias Infecciosas e Parasitárias da Faculdade de Medicina da USP e pesquisadora do Instituto de Medicina Tropical da Faculdade de Medicina da USP. 
  • Os alunos pré-selecionados para participar da escola precisam passar por diferentes etapas de aprendizado: das aulas teóricas e práticas, até simulações de epidemias, discutindo as melhores ações a serem tomadas em cada situação.
  • Os aprendizados e lições trazidos pela pandemia de Covid-19 nos últimos anos serão discutidos na programação da escola.
  • Para Ester Sabino, a troca de conhecimentos entre diferentes áreas pode ser fundamental em momentos de crise. “Se aprendeu muita coisa sobre comunicação e sobre como falar para as pessoas de um novo assunto. (…) Realmente melhorou muito o entendimento do que precisa ser medido, coisas que a gente nunca falava antes, por exemplo, medir os vírus em águas residuais de esgoto, mas que talvez seja uma forma interessante de a gente fazer uma nova vigilância”.
  • Os impactos das mudanças climáticas também são motivo de discussão.
  • Um dos desafios relacionados a crise climática é a febre amarela, epidemia recente no Brasil.
  • A doença infecciosa grave é causada por vírus e transmitida por mosquitos em áreas urbanas ou silvestres.

Com informações do Jornal da USP.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!