Um dos principais desafios na atuação em zonas de conflitos ou desastres é o acesso aos locais para ajuda humanitária, com a entrega de remédios ou comida, por exemplo. Foi pensando nisso que a Organização das Nações Unidas (ONU) planeja utilizar veículos robóticos alimentados pela inteligência artificial (IA) em missões do tipo.

Leia mais

publicidade

Aumento da violência

  • Os ataques contra trabalhadores humanitários se intensificaram nos últimos anos em meio ao maior número de conflitos violentos desde a Segunda Guerra Mundial, de acordo com as Nações Unidas.
  • Só o Programa Alimentar Mundial, a agência de ajuda alimentar da ONU, perdeu três trabalhadores no início deste ano no conflito no Sudão.
  • “Às vezes é muito perigoso enviar um motorista ou pessoal do PMA. Então, usar essa tecnologia pode realmente ser uma mudança de passo”, afirma Bernhard Kowatsch, que chefia o departamento de inovação do PMA.
  • As declarações foram dadas após conferência organizada pela União Internacional de Telecomunicações, em Genebra, na Suíça, para defender que a IA ajude a alcançar os objetivos globais da ONU, como a eliminação da fome (leia mais aqui).
Caminhões anfíbios da ONU serão equipados com IA (Imagem: PMA/Adam Marlatt)

Como a IA pode ajudar?

  • Os caminhões são anfíbios e podem transportar cerca de 1 a 2 toneladas de alimentos cada.
  • Eles foram concebidos pela primeira vez durante a batalha por Aleppo, na Síria, entre 2012 e 2016, quando trabalhadores humanitários desafiavam a violência para conseguir levar ajuda para partes sitiadas da cidade.
  • A agência da ONU já está usando cerca de 50 dos veículos no Sudão do Sul, mas os veículos ainda exigem a presença de motoristas.
  • Como parte do projeto AHEAD (Autonomous Humanitarian Emergency Aid Devices) com o Centro Aeroespacial Alemão (DLR), o PMA vai testar o uso da tecnologia sem motoristas no início do próximo ano, disse Kowatsch.
  • A IA é usada para combinar dados obtidos de várias fontes, incluindo satélite e sensores, permitindo que motoristas remotos dirijam os veículos.

Veja a tecnologia em ação:

Crédito: PMA

Sudão do Sul deve ser o primeiro a receber as missões

  • A expectativa da ONU é usar a tecnologia primeiramente no Sudão do Sul, onde cerca de 7,7 milhões de pessoas enfrentam insegurança alimentar grave e as inundações dificultam o acesso.
  • Mas no futuro a IA pode ser acionada em outros pontos de conflito mundiais, caso da Ucrânia, por exemplo.

Com informações de Reuters.

publicidade

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!