A agricultura surgiu durante o período neolítico há cerca de 12 mil anos, mas antes disso, os humanos já processavam cereais e outras fontes silvestres a fim de se obter farinha. Descobertas recentes, no entanto, apontam que, na verdade, isso era feito muito antes do que se pensava, pelos neandertais.

Essas descobertas são cinco pedras de moagem encontradas na Itália que datam de 39 a 43 mil anos atrás, período de transição entre o os neandertais, Homo neanderthalensis, e os humanos modernos, Homo sapiens.

publicidade

As evidências descritas em artigo na revista Quaternary Science Reviews foram encontradas em locais diferentes, algumas em sítio arqueológicos no norte do país, na Liguria, e outras no sul, na Campania, separados por cerca de 1000 quilômetros de distância.

Leia mais:

publicidade

Conhecimento compartilhado

Esses achados indicam que a moagem de grãos acontecia muito antes do que se pensava e a produção de farinha era um conhecimento compartilhado entre diferentes regiões que possuíam costumes alimentares semelhantes.  

Além disso, as pedras também podem indicar a interação entre os diferentes grupos de hominídeos, neandertais e humanos modernos. Uma das pedras de moagem encontradas no norte da Itália, é a mais antiga evidência do processamento de alimentos já encontrada na Europa, no mesmo local que outras duas mil anos mais novas e que pertenceram aos H. sapiens. As rochas são muito parecidas com as dos neandertais, no entanto, com modificações propositais para melhorias.

publicidade

A utilização de farinha pelos povos nômades permitiu que os alimentos pudessem ser guardados e transportados de maneira mais fácil, e descobrir quando ela começou a ser produzida pode revelar detalhes da vida desses povos.

Além da farinha, já foram encontrados evidências de que outros alimentos eram processados antes do surgimento da agricultura, como pães e cerveja.

publicidade

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!